sábado, 20 de outubro de 2018

As Perdas e as Teimosias


Perdas de pessoas queridas, de bens e valores, de status social, fazem parte da vida enquanto nos encontramos encarnados. Todos temos algo que perdemos e que nos provoca dor e sofrimento.

No entanto há que termos particular atenção que viemos a esta vida nus e sozinhos, através do portal do nascimento, e nus e sozinhos partiremos desta vida, deixando para trás todas as riquezas que acumularmos durante esta encarnação. Por isso forçosamente as perdas serão necessariamente naturais, tal como o envelhecimento corresponde à perda da juventude, tal como a perda da saúde corresponde à doença.

Mas perante a perda que nos toca mais profundamente normalmente revoltamo-nos, sentimos dor e sofremos. Relativamente à saúde há sempre algo que poderemos sempre fazer para a recuperar mesmo que nos possa parecer impossível perante uma morte diagnosticada. 


Como diria o filho do homem, só mesmo a morte pode determinar uma perda permanente, mas nem isso é verdade pois somos Seres de Luz perpétuos e isso faz com que sejamos sempre senhores da nossa Luz, ou seja, da parcela Divina que nos anima.

Por isso porque teimas em sofrer e atormentares-te com as tuas Perdas. Porque não perguntas antes: Que aprendizagem tenho eu de realizar e que me levou a esta separação, a
que classifico como Perda?

Não!!! Preferes sofrer com a dor, a tristeza ou a raiva... e deixas-te invadir por uma tristeza profunda que te pode levar a uma grande depressão. E deixa-me que te pergunte: e de que te serve isso? Preferes sentir-te infeliz? ou com raiva da vida?

Não!!! Ninguém te pede que sejas insensível. Chora o que quiseres a tua Perda. Deixa fluir essa emoção relacionada com o apego que tinhas... sim porque se trata de apego e não de Amor. Quem AMA de verdade sabe que o único Amor que sente é aquele que brota do seu coração. É aquele fogo que arde sem se ver, como diria o poeta, mas é sempre oriundo da nossa LUZ.

Ora quem AMA não pode ter apegos e tem de aceitar a separação, pois sabe de onde provém esse Amor, por muito que goste de ter junto de si o alvo do seu Amor.

O problema é que conjugamos o nosso Amor em conjunto com o verbo possuir e dizemos: "o meu filho", "o meu marido", "a minha mãe", tal como dizemos: "o meu carro", "a minha casa", "o meu dinheiro"... enfim... meu... meu... meu... Sentindo sempre que detemos o poder e o controlo sobre tudo e todos que dizemos Amar e afinal não controlamos nada nem possuímos coisa alguma.

Quando desencarnamos uma coisa é certa, só vamos levar o que verdadeiramente usufruímos com Amor ou dedicação. Nada mais.

Mas somos teimosos... muito teimosos... e sofremos... revoltamo-nos... sentimos raiva às vezes sem saber bem de quê ou de quem... mas preferimos tornar a nossa vida numa miséria, criando os nossos próprios demónios e infernos. Sobretudo não culpem Deus das vossas desgraças pois Deus não castiga ninguém. Ele é Pai/Mãe todo misericordioso e por isso não tem como castigar ninguém.

Anda daí! Deixa para lá esse teu sofrimento! Ele é o que te prende e o que te bloqueia.

Anda daí! Reergue-te para a VIDA, pois esta tua vida é única na dimensão das aprendizagens que predestinaste vir aprender. Não percas mais tempo que este é tão precioso para a tua evolução e Ascensão.

Vá lá... Não sejas teimoso. Larga essa enorme ilusão.

Vem até mim... para que eu seja a tua Luz...

Vem até ao Pai/Mãe que muito te ama e te ajudará a reencontrares o teu Caminho.

E sente-te sempre profundamente amado...

Fica bem

(A Mónada)

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

A Vida… o Coração… e o Mestre...



A quantos de nós que vivemos esta passagem pelo Planeta Terra, não experienciámos já no passar dos dias que preenchem as nossas vidas, por situações que nos envolvem profundamente nesta realidade terrena, que por vezes nem conseguimos separar a atitude mental da do coração.

Esta situação é notória quando enfrentamos algo que nos é adverso, que nós não aceitamos como parte integrante da vida e como tal de desenvolvimento consciencial, e aí sentimos várias reacções vindas do coração, umas boas outras menos boas... e então até queremos que o coração até resolva estas situações e nos indique o caminho de forma calma e espiritualizada em estado de amorosidade, mas de repente há um “Click” em nós e tudo muda e temos o reverso, chega-nos o pensamento egoico e o sentir da mente que cria cenários derrotistas no palco da vida e nos deixa sem forças para seguir o caminho.

Não é preciso dizer muito mais para se entender que se deixarmos o coração sentir e pensar amorosamente, que é essa a sua característica, nos pouparíamos ao sofrimento e à dor perante mera hipóteses derrotistas que o pensamento egoico nos quer impor tentando derrubar na experienciação do nosso “Agora”, o que por vezes é sentido de uma forma tão intensa através da mente quando ela tenta tudo fazer para abafar a linguagem do coração que é a Fonte de Vida de cada um de nós.

Então tenhamos a coragem de ter Fé, acreditemos, aceitemos o que realmente somos e representamos neste planeta no sentido da Harmonização Consciencial.

Deixemos cair a roupagem da dualidade, mostremos a nossa essência que neste plano e “Agora” deve ser entendida como Luz da LUZ e sigamos o caminho ao encontro do Amor do coração e do Mestre. Aí no nosso interior seremos banhados pela sua Consciência Diamantina e assim conseguiremos seguir as suas pégadas no Caminho e na expressividade do AMOR Maior através dos Universos.

Espero que amem o vosso Mestre pois Ele é o Amor Incondicional que pulsa em cada coração...


Acolham o vosso Mestre e conhecerão a Paz Eterna...

Fiquem na minha PAZ que também é eterna......


EU SOU A VOZ DO CORAÇÃO

EU SOU


MARLIZ

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Evolução


"Que relação existe entre a serpente e a pomba? Elas representam os dois aspectos opostos da mesma energia: a energia sexual. A pomba é precisamente a serpente sublimada. Ela ensina-nos que tudo aquilo que rasteja no solo pode, um dia, tornar-se capaz de se lançar nos ares e voar.

A serpente representa a força sexual primitiva, e ela é muito manhosa! Como está escrito no Génesis: «A serpente era o mais manhoso de todos os animais dos campos que Deus fizera.» É impossível enumerar todos os meios a que os humanos podem recorrer para escapar à serpente, mas ela apresenta e arranja as coisas de tal forma que, na maior parte das vezes, acaba por triunfar. Alguém diz: «Eu não sucumbirei à tentação, resistirei...» Mas, como não previu a cilada que a serpente seria capaz de lhe lançar, no último minuto cai nessa cilada. E continuará a cair até conseguir transformar nele a serpente em pomba, isto é, transformar o amor humano em amor espiritual, que o arrancará à terra e o fará conhecer a liberdade dos espaços infinitos."

Neste texto Omraam Mikhaël Aïvanhov aborda a nossa natureza terrena. Já em outras culturas e religiões, por exemplo no hinduísmo, a serpente representa esta mesma energia que lhe chamam de Kundalini, como sendo o poder espiritual primordial ou energia cósmica que jaz adormecida no Múládhára Chakra, ou chakra da raiz, e que serpenteando e subindo vai activando os potenciais de consciência dos nossos 7 Chakras.

Conta a lenda que a energia serpenteante da Deusa Kundalini shakti está enrolada 3 voltas e meia na base do chakra da raiz e que a evolução de cada ser humano é metaforizada pelo caminho que esta faz ao encontro do seu muito amado Shiva. No caminho ela terá de activar cada um dos 7 chakras desencadeando no Ser a consciência divina que o conduz à iluminação plena.

Esta energia, como refere o autor, é a que nos liga à Terra. A pomba representa o Ser Divino a que nos ligamos e a que pertencemos… A Serpente sendo manhosa, no entanto é a energia que nos permitirá Ascender.

Reconhecer a manha da serpente que há em nós significa auto-conhecimento e só através do auto-conhecimento é que conseguiremos, através da experiência, evoluir. Ceder às tentações é humano, mas reconhecer essas mesmas tentações, aprender com os erros e avançar no caminho do amor incondicional é Divino e representa o nosso propósito Maior.

Só quando a nossa consciência se tiver expandido, ao ponto de entendermos o que ela significa na imensidade do Infinito, então sim, chegaremos ao nosso destino, mas para isso teremos de através da densidade transcendê-la e transmutá-la num imenso Oceano de AMOR.

Estar na nossa vida terrena mas com a consciência do Ser Divino que somos é um importantíssimo passo. Precisamos agora de através do AMOR trazer o Divino que já mora em cada um de nós para todas as actividade do nosso dia-a-dia.

És capaz de, vivendo o teu agora, percorreres o teu caminho sempre ligado à Suprema e Amorosa Consciência de Mãe/Pai? Quando o fores então transformaste-te num AVATAR e serás a manifestação de Deus na Terra.

Eu sei que um dia lá chegarás...

Sente-te profundamente AMADO.

Fica bem

(A Mónada)

sábado, 6 de outubro de 2018

Os APEGOS


“Havia um certo general chinês que, em batalha, liderava os seus homens com coragem e força destemida. Nada o fazia vacilar e nada o fazia sentir medo, pois a sua convicção e determinação eram inabaláveis. Era um autêntico e reconhecido herói da guerra.

Certo dia estava em sua casa a tomar chá na sua relíquia mais adorada – uma bela e requintada chávena de porcelana finamente decorada – ele era profundamente apegado àquela peça, que lhe tinha sido legada pelo seu avô, e por isso tinha-lhe uma grande estima. Quando fez um gesto de a colocar na mesa e a sua mão vacilou e a chávena começou a cair no chão. Terrificado com o temor de que a peça se quebrasse, o general lançou-se ao chão e, no último momento conseguiu apanhá-la.

Ainda tenso, a tremer e com suores frios, o general então pensou e ganhou consciência do que tinha sentido e disse para si mesmo:
- Então eu liderei homens em guerras terríveis e passei por tantos momentos assustadores na vida sem jamais vacilar, como é possível ter sentido tal temor por causa de um pequeno objecto de porcelana?!?

Nesse momento, o general percebeu plenamente a natureza dos seus apegos nesta vida. Em consequência, deixou cair a chávena ao chão, voltou-se para a vida contemplativa e abandonou por completo a violência e a paixão ignorantes.”

Texto do livro: Brumas do Tempo de José Caldas (org.)

Ganhar consciência dos nossos apegos é essencial pois, como vimos nesta pequena história, eles retiram-nos do nosso centro e enchem-nos de medos e temores, que no mínimo nos fazem vacilar, paralisar e até, em certos casos, adoecer.

Os apegos, assim como as zonas mais sombrias da nossa alma, estão lá no fundo, no nosso mundo mais inconsciente, e por isso são difíceis de detectar, o que torna completamente incontrolável o momento em que eles vêm à superfície e se tornam conscientes. E quando tal acontece, normalmente não é quando estamos calmamente a tomar chá, mas sim nos piores momentos das nossas vidas, como se quisessem ainda acentuar mais a nossa dor ou sofrimento.

Assim, há que tornar conscientes estes apegos de forma a podermos exorcizar os medos e temores que lhe estão ligados.

Curiosamente esta história fez-me lembrar a vida de D. Nuno Álvares Pereira, que na nossa História tornou-se conhecido como o destemido general que conduziu as tropas Portuguesas nas diversas batalhas contra os castelhanos, no tempo em que estava em causa a independência de Portugal e que depois, à medida que foi ganhando consciência dos seus apegos se voltou para a vida contemplativa e se tornou no Santo Contestável.

E tu aí, que estás a ler este texto. Quais são os teus apegos nesta vida? Não me digas que não os tens, pois todos nós os temos. Provavelmente ainda não os tornaste conscientes... Serão os filhos? O dinheiro? O automóvel? A casa? O companheiro desta vida? A saúde?...

Não precisas de partir a chávena, como fez o general na história, mas precisas de ganhar consciência do medo que lhe está associado e libertares-te dele. Pois Tu não és esse apego, e muito menos esse medo da Perda que possas vir a sentir.

Tu és um Ser de LUZ muito amado por Pai/Mãe Fonte que tudo É.

Fica bem

(A Mónada)

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Semear o AMOR


Oriana era um ser dócil, criativo e empreendedor, vivia num outro Universo de Amor Maior, uma das tantas moradas de Mãe/Pai, onde o Amor e a Paz reinante, geram estruturas sociais harmoniosas. Oriana teve conhecimento das alterações que estão a ocorrer no planeta Terra com o objectivo da criação de um Novo Mundo, no Caminho da Ascensão Consciêncial e no apoio ao nascimento de um Novo Universo na Luz do Criador.

Nesse momento e num impulso de Amor e Partilha, apelou à Energia de Mãe/Pai, que a deixasse encarnar, com o objetivo de Semear o Amor e a Paz neste planeta, nesta hora maravilhosa e única para a Humanidade. Assim na eterna doçura do Criador e com o Poder do Verbo Divino, Oriana foi acarinhada e apoiada no sentido de poder concretizar a sua missão de Alma ao Serviço do Bem Maior. Passados alguns momentos sobre a alegria de poder concretizar o seu sonho, começou a pensar onde e em que família iria realizar os seus objectivos. Não dando grande importância ao local de nascimento, escolheu uma família humilde de agricultores, optando por uma vida que não iria ser fácil, mas era ali que queria estar, rodeada pela natureza e pelo carinho dos pais, no contacto directo com a Mãe Terra.

Após o nascimento e passado alguns anos, Oriana começou a ajudar os seus pais nos trabalhos do campo, o que aliás muito gostava de fazer, porque era assim que aprendia as fases porque passava uma pequena semente seca até se tornar numa planta saudável e cheia de frutos. Adorava deitar a semente à Terra, e tapá-la com a ajuda das suas mãos carinhosas, depois regava e esperava que o Sol brilhasse sobre ela dia após dia, e assim começava a aparecer o rebento, tornando-se numa planta linda viçosa e que por vezes dava dezenas de frutos, bastava cuidar dela, regando-a e retirando as ervas daninhas, que por vezes queriam sufocar o seu crescimento, e deixar que o poder germinador do Sol, fizesse as últimas maravilhas.

Foi assim que aprendeu a grandiosidade da dádiva da Mãe Terra para com os humanos, e tudo começou por aquela pequena semente. Com o passar do tempo Oriana entendeu definitivamente qual o Serviço que tinha escolhido prestar neste Mundo, abraçou os pais agradecendo tudo o que lhe fora ensinado, e que estava na hora, de transmitir esses conhecimento através da mensagem e de uma nova experiência de Vida, divulgando a Verdade do Verbo em sintonia com os seus exemplos de vivência em comunidade.

E assim ao passar a mensagem que se segue, percebeu on valor incontornável, de ver cada um colher os tão desejados frutos que o irão ajudar a crescer e a preparar-se para Uma Nova Forma de Ser, na Partilha e na Organização das Novas Comunidades de Luz que serão os Pilares das novas estruturas Sociais, em harmonia com a Nova Ordem Divina.

«Sê criador das tuas novas experiências. O solo no qual colocas a semente é o subconsciente. A semente é a nova afirmação, portanto toda a nova experiência está nessa semente minúscula, rega-a com afirmações, deixando que seja a LUZ do SOL dos pensamentos positivos que brilhe sempre sobre ela, arranca as ervas daninhas, eliminando os pensamentos negativos que possam aflorar. Quando o primeiro rebento começar a espreitar no solo, nunca digas: - Não é suficiente!... Muito pelo contrário, deverás exclamar: - Excelente!... Está a nascer!... Está tudo a resultar!... E assim verás florescer todos os objectivos concentrados naquela pequena semente seca pelo tempo, mas cheia de AMOR para dar».

Foi este o Serviço que tão docemente Oriana prestou ao Universo e à Humanidade deixando em cada coração Humano uma Centelha de Amor e Paz. Quem será Oriana? E tu quem és Peregrino? Não duvides da tua LUZ nem do teu Poder Interior, semeia também tu o AMOR e a Paz entre os HOMENS nestes tempos de novas oportunidades de Criação para a Nova Terra.

Fiquem na minha Paz

EU SOU A VOZ DO CORAÇÃO

EU SOU

MARLIZ

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

A Revelação


Vejam-se enquanto vibrações de consciência para além de meros seres humanos que são. Os seres humanos têm uma programação de base a que poderemos chamar de Matriz que contém todos os mecanismos mais ou menos automáticos do seu modo normal de funcionamento.

Por outras palavras vejam, por exemplo o que se passa com uma lagarta. Ela come folhas, estás no solo ou nas árvores e nada conhece do que acontece nos ares. Ela nem sabe que um dia se irá transformar numa lindíssima borboleta. Ela vive com a programação da lagarta no Mundo da lagarta e por isso para a lagarta, a borboleta é outra coisa.

No entanto, em determinada altura da sua vida, a lagarta vai receber sinais de que necessita de passar por um processo de metamorfose para se tornar, através do casulo, da crisálida, uma bela borboleta. E há uma transformação da Consciência em borboleta.

Ora o problema nos seres humanos, tal como nas borboletas, é que a sua consciência está delimitada, de forma extremamente sólida, rígida, nos condicionamentos limitadores (quer seja através das Crenças, quer seja através de um certo número de programações ligadas à Matriz).

Por isso nos é tão difícil entender o que se passa em outros planos de existência não física, não conseguimos sequer conceber a nossa essência vibracional, tal como a lagarta desconhecia por completo que a metamorfose porque irá ter de passar, lhe confere o conhecimento e a capacidade de voar com aquela graciosidade típica de uma borboleta.

Ora neste momento toda a Humanidade está a ser atingida por esta mudança vibracional e fica confusa. Acontecem pelo mundo inteiro muitos tumultos e muita desorientação. Por outro lado, aqueles que já vivem as vibrações e vão tomando consciência delas e as integrando, mais facilmente entenderão que estão a metaformisar-se e em breve passarão a ser borboleta, ganhando consciência do que é ser borboleta e não apenas de continuar a ser uma desconsertante lagarta com asas.

Em contrapartida, aqueles que estão nesse aprisionamento, nessa rigidez, ainda que falem de Luz, eles não vivem as mudanças ao nível vibratório e, para esses, isso significa o fim da lagarta, porque eles não conhecem a borboleta. Então, é um horror enorme e é grande a desorientação porque passam. Pensarão que se aproxima o “fim dos tempos” e têm visões apocalípticas.

Nem sequer se lembram que Apocalipse significa simplesmente Revelação e essa desorientação, degenerando-se em terror e medo, é terrivelmente densa tornando as consciências ainda mais delimitadas e fechadas.

Mas o aumento vibracional vai tocando a todos e tal como acontece com as lagartas… em breve todos serão um novo Ser Humano… mas de consciências fragmentadas, salvo aqueles que reconhecendo e integrando os diversos níveis vibratórios, forem de facto reconhecendo os seus novos dons, os seus novos corpos mais subtis e a sua essência.

Para esses muito em breve passaremos desta consciência fragmentada para uma consciência Una com o nosso Criador, manifestando-se aí a verdadeira Revelação. A Revelação do AMOR UNO. A Revelação do AMOR INTEGRAL.

(texto baseado em outro, de autoria de Omraam Mikhaël Aïvanhov)

Sintam-se entretanto muito amados à medida que deixam fluir esse mesmo AMOR em vossos corações.

Fiquem bem.

(A Mónada)