terça-feira, 4 de agosto de 2020

ESTA NAVE ESTÁ EM FESTA
Dia 4/8 - 14 ANOS
de existência



PARABÉNS PARA TODOS

Pois sem os nossos viajantes nunca seriamos uma verdadeira NAVE


Foi Assim o início há cerca de 14 anos.

BEM HAJAM TODOS OS QUE VIAJAM CONNOSCO

domingo, 2 de agosto de 2020

Superação dos Medos


"Existe uma lei segundo a qual, quanto mais medo tiverdes de alguma coisa, mais a atraireis. Portanto, se não quiserdes que uma desgraça se abata sobre vós, não a receeis! Se fordes fortes, todos vos deixarão tranquilos. Mas quantos conhecem esta verdade?

 

A maioria está à mercê dos seus medos, sem saber que eles são o resultado de uma falta de conhecimento, de uma falta de Luz.

 

Eis a prova disso: quando estais num lugar escuro, não vos sentis tranquilos enquanto não conseguis acender a luz. Podeis tirar deste fenómeno conclusões fantásticas para o domínio espiritual!

 

A escuridão, ou seja, a ignorância, faz-vos correr todos os perigos, e é por isso que tendes medo. Mas projetai a Luz, isto é, armai-vos com as verdades necessárias para enfrentardes a situação, e o vosso medo desaparecerá."

 

Mais um texto fantástico de Omraam Mikhaël Aïvanhov que nos revela o efeito perverso dos nossos medos a partir da Lei da Atração.

 

Ter medo é humano, e em cada encarnação vimos com medos ancestrais que muitas vezes são evidenciados através de fobias. As mais comuns são bem conhecidas e muitas vezes advêm de carmas civilizacionais da egrégora a que pertencemos. Não é por acaso que escolhemos família, local, data, hora de nascimento, entre outras características que acabam por marcar toda a nossa vida.

 

Porém, tal como refere o autor do texto, até mesmo estes medos mais inexplicáveis podem ser superados. Esse é um dos nossos objetivos para eliminar as sombras da nossa alma.

 

Uma das Leis que se aplica nestes casos é: “Só a sabedoria apaga o Carma” ou seja, é preciso o conhecimento vivencial para que a superação aconteça. Não resulta tentar escamotear os nossos medos pois mais tarde ou mais cedo vamos ter de nos confrontar com eles.

 

Assim, temos escolha. Se não quisermos ser confrontados pela Vida, podemos desde logo através da Luz e do conhecimento enfrentá-los suavizando desta forma a superação.

 

Uma vez resolvido o medo, nada mais resta senão a LUZ e o AMOR.

 

Amarmo-nos é enfrentar os medos pelo conhecimento e pela sabedoria trazendo-os à Luz da nossa Consciência.

 

Sente-te sempre muito Amado e nunca estarás só perante os teus medos.

 

Fiquem bem...

 

(A Mónada)


P.S. - Não deixe de ler também as Energias para este mês... clicando AQUI!

segunda-feira, 27 de julho de 2020

O AMOR e as Paixões


"Aquele que tem necessidade de umas sacudidelas, de catástrofes e de incêndios, para sentir que vive, demonstra que ainda é um ser primitivo e bárbaro. Aliás, tem-se visto isso ao longo da História. Todos os que incendiaram cidades e aldeias, todos os que atearam fogueiras e fornos crematórios, eram bárbaros. A necessidade de queimar objetos ou seres é um resquício da selvajaria primitiva.

 

E o mesmo acontece no domínio dos sentimentos: aquele que está sempre a acender o fogo da paixão em si e nos outros comete um ato de barbárie. Isso é próprio dos seres que ainda não aprenderam a maneira correta de se aquecerem e de aquecerem os outros, isto é, que não aprenderam a maneira correta de amar!"

 

Mais um texto atribuído a Omraam Mikhaël Aïvanhov que nos remete para a distinção entre paixão e amor.

 

Existe muita confusão nos relacionamentos românticos entre a paixão e o amor, sobretudo quando se revelam as emoções mais primitivas associadas ao desejo e ao sexo. Depois surge a posse que se revela quando falamos do outro como sendo “o meu...” ou a “minha...”. E ai daquele que se tente apoderar do que é meu, como se alguém pudesse roubar o que cada um é na sua essência. E quando tal acontece sob o domínio da paixão, surge o ciúme. Há mesmo quem pense que não existe amor sem uma “pontinha” de ciúme. Enfim, são inúmeras as distorções que chamamos de formas de amar, mas que não passam das ditas paixões primitivas que refere o autor do texto.

 

Igualmente ao comparar-se estas paixões com o fogo de quem incendeia, podemos desde logo perceber o tumulto de emoções que levam a este tipo de processo de destruição logo de seguida.

 

No entanto, sendo a nossa essência espiritual AMOR, então ninguém nos pode tirar o que é nosso por natureza. Mesmo quando nos apaixonamos por alguém ou alguma coisa, o que nos move não são os atributos físicos, mas sim o que precisamos de aprender para dar forma à expressão do nosso Amor. Por outras palavras, nós vemos no outro a perfeição que gostaríamos de ter e é por isso que surge a cegueira de quem se apaixona e vê no outro apenas a perfeição.

 

Mesmo aqueles que se batem por causas “ditas nobres” e se tornam faciosos a ponto de perderem o auto discernimento, a paixão retira-lhes a possibilidade de transcenderem essas mesmas causas, acabando sempre por tentar manipular as consciências de outros, muitas vezes acendendo neles o fogo dessas mesmas paixões... e isso é bárbaro. Isto é muito comum nos populistas e nos políticos que tentam convencer os seus pares das virtudes de determinadas políticas anti sociais e humanas, privilegiando a economia em detrimento da saúde por exemplo.

 

Mas estivemos até agora a focarmo-nos nas paixões e não no amor.

 

Se invocarmos em cada momento o Amor que existe em nós, podemos observar alguns dos seus principais atributos como sejam: a paz, o desprendimento, o contentamento, a entrega, a gratidão e todo o tipo de emoções que nos tornam mais livres e felizes.

 

É no nosso âmago que encontraremos todas as respostas que precisamos para encontrarmos as formas mais corretas de expressar o nosso Amor, como por exemplo: o afeto, o carinho, a ternura, o perdão, a dedicação, a solidariedade, a caridade, etc..

 

Mas antes de tudo. Há que sentir esse Amor...

 

Começa já hoje por te sentires sempre muito Amado. Lembra-te quem verdadeiramente És.

 

Fica bem...

 

(A Mónada)

 

 

sábado, 18 de julho de 2020

Gratidão e Abundância

"Pensai todos os dias em agradecer ao Céu até sentirdes que tudo o que acontece é para o vosso bem. A partir de agora, dizei:

«Obrigado, Senhor! Obrigado, Senhor!» Agradecei por aquilo que tendes e por aquilo que não tendes, pelo que vos alegra e pelo que vos faz sofrer. Assim, alimentareis em vós a chama da vida.

Eis uma lei que é preciso conhecer: nada pode resistir à gratidão.

Vós direis: «Mas como é que podemos agradecer quando estamos infelizes, doentes, na miséria? Nunca poderemos!» Sim, podereis, e é esse o maior dos segredos: mesmo infeliz, conseguir encontrar uma razão para agradecer. Sois pobres? Estais doentes? Agradecei, agradecei, regozijai-vos ao ver os outros ricos, com saúde, na abundância, e vereis... pouco a pouco, certas portas abrir-se-ão e as bênçãos começarão a fluir sobre vós.


Texto de Omraam Mikhaël Aïvanhov

Mais um excelente texto de 
Omraam Mikhaël Aïvanhov que nos explica o Poder da Gratidão e o efeito que ela tem para o sentir da nossa alma.

A maior parte das pessoas tem a noção de que só se deve sentir grato quando se recebe uma graça.

Eu pergunto e que maior graça pode existir do que o milagre de estar vivo e poder experienciar e aprender o caminho da Ascensão já nesta vida?

Sim porque, ultrapassando a adversidade, a dor, o sofrimento, damos entendimento que todos esses momentos são passageiros e contribuíram para o nosso crescimento e desenvolvimento espiritual.

Para além disso o simples facto de nos alegramos e regozijarmos com as coisas boas que acontecem aos outros é revelador de uma enorme Luz interior e de uma enorme compaixão, pois sabemos que toda essa abundância do Alto é proveniente.

É com toda esta gratidão no coração que a nossa energia muda e passamos também nós a sermos abençoados pela abundância dos céus que não tem de ser em géneros ou material. É sem o esperar que os milagres surgem não para nos premiar mas consolidar a nossa fé.

Os bens materiais não passam de energia que flui através do Amor para a nossa vida. A eles não devemos ficar apegados mas usufruir de acordo com a nossa missão.

No entanto fica ciente que a verdadeira abundância é aquela que sentimos quando flui o AMOR Maior no nosso coração e o partilhamos com todos aqueles que nos rodeiam. E quando assim é não temos carência de nada.

Ama a tua vida e serás imensamente amado pelos Céus.

Fica bem.

(A Mónada)

domingo, 12 de julho de 2020

Somos Todos UM!


"Eis o fim da escolha. Pois vimos a decisão de nos aceitarmos tal como Deus nos criou. E o que é a escolha senão a incerteza do que somos? Não há nenhuma dúvida que não esteja enraizada aqui. Não há nenhum conflito que não acarrete essa única pergunta simples. “O que sou eu?”

Mas quem poderia colocar essa questão a não ser aquele que se recusou a reconhecer-se a si mesmo? Só a recusa de se aceitar a si mesmo poderia fazer a pergunta parecer sincera. A única coisa que qualquer coisa viva pode saber com toda a certeza é o que ela é. Ao partir deste único ponto de certeza, ela olha para as outras coisas com tanta certeza quanto tem de si mesma.

A incerteza a respeito do que não podes deixar de ser é um auto-engano numa escala tão vasta, que a sua magnitude dificilmente pode ser concebida. Estar vivo e não se conhecer a si mesmo é acreditar que se estás realmente morto. Pois, o que é a vida, senão ser o que és. E que outra coisa além de ti pode estar viva em teu lugar? Quem é aquele que duvida? A quem estará questionando? Quem pode lhe responder?

Ele está apenas declarando que não é ele mesmo e, assim, sendo outra coisa torna-se um questionador do que vem a ser essa outra coisa. No entanto, jamais poderia estar vivo se não soubesse a resposta. Se pergunta, como se não soubesse, isso apenas mostra que ele não quer ser essa coisa que é. Ele aceitou porque está vivo, fez um julgamento contra si, negou o seu valor e decidiu que não conhece a única certeza pela qual vive.

Desta forma, ele passa a estar incerto quanto à sua vida, pois o que é foi negado por ele. É por causa dessa negação que precisas da Expiação. A tua negação não fez nenhuma mudança no que és. Mas divide a tua mente entre a que conhece e a que não conhece a verdade. Tu és tu mesmo. Não há dúvidas quanto a isso. E, no entanto, duvidas mas não perguntas que parte de ti realmente pode estar duvidando de ti mesmo. Não pode ser uma parte de ti que coloca essa questão. Pois pergunta àquele que sabe a resposta. Se fosse parte de ti, a certeza seria impossível.

A Expiação remedia a estranha ideia de que é possível duvidar de ti mesmo e não ter certeza do que realmente és. Essa é a profundidade da loucura. No entanto, é a questão universal do mundo. O que isso pode significar senão que o mundo é louco? Por que compartilhar da sua loucura na triste crença de que o que é Universal é que é verdadeiro?

Este Mundo é um lugar cujo propósito é o de ser um lar aonde aqueles que declaram não se conhecer podem vir perguntar o que são. E tornarão a vir até ao momento em que a Expiação for aceite e aprenderem que é impossível duvidar de si mesmos e não estar cientes do que são.

A única coisa que pode ser pedida a ti é a aceitação, pois há certeza quanto ao que tu és. Isso é estabelecido para sempre na santa Mente de Deus e na tua própria.

Temos uma missão aqui. Não viemos para reforçar a loucura em que outrora acreditamos. Não nos esqueçamos da meta que aceitámos. 

Viemos para ganhar mais do que apenas a nossa felicidade.

Viemos para aceitarmos que somos aquele que proclama que Todos não podem deixar de ser unidos connosco.

Não falhes junto aos teus irmãos ou falhas para contigo mesmo. Olha para eles com amor para que possam ter o conhecimento que são parte de ti e que tu és parte deles."

Texto que é parte do livro "Um Curso em Milagres"

Trago-vos hoje este texto para que, caros Irmãos de LUZ, nunca mais se esqueçam de que são LUZ e AMOR Incondicional UNOS com TODOS.

Fiquem bem...

(A Mónada)

domingo, 5 de julho de 2020

O AMOR tudo cura


"A maioria das pessoas não são más nem mal-intencionadas, muitas até desejam sinceramente ser úteis aos outros. Mas os bons sentimentos e as boas intenções não bastam para se fazer realmente o bem. Aquele que quer ajudar os outros deve começar por se desembaraçar de todos os elementos que, nele, se opõem a esse bem que ele quer realizar.

Com efeito, o bem e o mal estão tão intimamente ligados em cada ser que, muitas vezes, há forças obscuras que conseguem aproveitar-se da sua boa vontade. E, embora ele esteja convencido de que está a ser útil, há toda a espécie de elementos contrários ao bem que se misturam nas suas acções, e as pessoas que deveriam beneficiar com elas acabam é por ser vítimas.

Por isso, por um trabalho paciente em cada dia, em cada hora, vós deveis procurar diminuir os estados interiores que podem servir de íman às forças negativas e, pelo contrário, intensificar os estados que atraem até vós as correntes celestes. Quando conseguirdes já não abrir as portas às forças obscuras, sereis realmente capazes de ajudar os outros."

Mais um texto magnífico de Omraam Mikhaël Aïvanhov que nos mostra a forma de como poderemos servir o próximo começando por nos servir a nós próprios. Já te tinhas apercebido antes que para ajudares o próximo tens de estar tu desimpedido do que te prende? Dos tais pontos obscuros que existem em ti, das tuas sombras, e que tu muitas vezes ainda teimas em esconder ou esquecer como se tal fosse possível?

Pois é este o teu caminho, a tua senda, se queres que a tua vida se paute pela alegria de ajudar os outros a despertar para a sua LUZ e a expandir a sua consciência. Tu nunca o poderás fazer devidamente se de cada vez que o tentares fazer, colidires com esses pontos umbralinos que ainda moram dentro de ti.

Ainda mais preocupante é que eles são por si mesmos fontes de energia negativa que atraem para a tua vida todas as energias que lhes são afins, fazendo com que essas zonas que necessitam de ser curadas voltem ao nível da tua consciência física para que possam por ti ser reconhecidas e curadas pela acção do AMOR que reside em teu coração.

Esta é a chave do progresso espiritual de todo e qualquer Ser… Este é o único caminho que tens de trilhar para então sim… poderes brilhar em todo o teu esplendor, desenvolveres os teus dons e tornares-te num verdadeiro trabalhador de LUZ.

Mas não te sintas mal ao leres estas palavras agora pois todos temos essas zonas mais ou menos obscuras dentro de nós. No entanto, que isto também não te sirva de desculpa para não realizares o teu trabalho diariamente como refere Aïvanhov no texto que nos deixou. Não te esqueças que tu és LUZ e que essas áreas ainda menos iluminadas em ti serão em breve resolvidas pela Energia do Espírito Santo de Mãe, Pai e Filho que já reside em ti mas que sendo intensificadas, em breve irão preencher todo o teu Ser, quer to queiras ou não.

No entanto tu, com as tuas escolhas podes antecipar e abreviar todo o mal-estar que esse processo de limpeza e purificação implica.

Para isso tens de te tornar integro contigo mesmo… não podes mais aceitar que essas zonas obscuras permaneçam em ti sem lhe dares a devida atenção e sanares com AMOR a tua vida.

Entretanto, tal como também refere o autor do texto, podes sempre intensificar a tua LUZ, desenvolvendo as tuas virtudes e capacidades, continuando a descobrir DEUS e o Seu AMOR Incondicional dentro de Ti.

Só assim te sentirás Muito Amado e serás capaz de Amar cada vez mais…

Fica bem…

(A Mónada)