domingo, 17 de novembro de 2019

O Ser que Somos...


"Nós só podemos ver o Céu, o Sol e a Terra, só podemos aperceber-nos da existência do mundo físico, graças ao princípio invisível em nós, que nos permite tomar consciência deles através dos órgãos físicos que são os nossos olhos. Se esse princípio invisível não existisse em nós, os nossos olhos não serviriam para nada, não veríamos nada nele. O mundo visível é apenas o invólucro, a casca, do mundo invisível, sem o qual não poderíamos conhecer nada de tudo o que existe à nossa volta.

Nós não vemos a vida, mas vemos as manifestações da vida; não vemos os pensamentos e os sentimentos, mas vemos as suas diferentes expressões, por intermédio dos atos e das criações que eles inspiram. Do mesmo modo, o mundo que conhecemos apenas representa condensações, secreções, invólucros do ser invisível que criou o Universo e o vivifica. E aquilo que se vê é sempre pouca coisa em comparação com o que não se vê. 

Tudo o que nos rodeia revela-nos os limites daquilo que se vê e a imensidão daquilo que não se vê."

Omraam Mikhaël Aïvanhov com este texto tenta explicar-nos a diferença entre o Ser que toma consciência e o halograma que ele mesmo cria e a que lhe chama de "realidade".

Sem explicar com argumentos científicos, este instrutor vai ao encontro da nossa essência espiritual, como sendo algo invisível e até oculto que, refugiando-se num invólucro – o corpo –, vai recriando o seu próprio Universo, vivifiando-o.

Igualmente destaca a fraca capacidade de captação dos nossos órgãos sensoriais, muito em particular dos nossos olhos que enquanto câmaras de filmar, apenas captam 4% de matéria bariónica, no contexto de tudo o que existe, coisa que hoje a ciência considera como plausível.

Porém até mesmo esses 4% não são vistos nem tão pouco consciencializados na totalidade, na medida em que o nosso cérebro apenas distingue o que conhece e é nessa capacidade de discernir que se encontra a visão com a qual construímos uma "realidade", diferente da que qualquer outro vê, pois depende da capacidade de cada um distinguir o que os seus olhos captam, que por sua vez depende no conhecimento e da vivência de cada um.

É esta “realidade” personalizada que se dá o nome de halograma, na medida em que esta depende em grande parte do observador e não do que se observa.

Mas se ainda nos resta alguma réstia esperança de que essa pseudo realidade possa existir da forma como a vemos, em função do que chamamos de realidade comum, ou seja: se o que eu vejo é o mesmo que tu vês, então é porque ela existe da forma como ambos a vemos... e assim criamos halogramas comuns... então vejamos como operam essas mesmas câmaras de filmar que temos e a que chamamos olhos.

Em função da existência de uma retina e da necessidade de existir uma transmissão iónica de sinais para o cérebro, apenas captamos cerca de 20 imagens em cada segundo, o que é manifestamente pouco quando compararmos com qualquer tipo de Smart TV que hoje em dia projecta através do seu LCD entre 100 a 1000 imagens em cada segundo. Na prática, mais de 80% das imagens que a nossa TV projecta não são captadas pelos nossos olhos, no entanto ficamos convictos da continuidades das imagens que vemos.

Quando ganhamos consciência do que de facto ainda chamamos de “realidade” perguntamo-nos: Afinal o que é mais real? O que vemos no nosso exterior, no dito mundo das formas, ou o que criamos em cada momento no nosso interior que aprendemos a desvalorizar e a chamar-lhe de imaginação?

Afinal quem é este Ser que contempla e que se observa?

Fica bem...

(A Mónada)

domingo, 10 de novembro de 2019

Poesia de Rumi, poeta Sufi...


Hoje trago-vos de novo a Poesia de Rumi, poeta Sufi ao que dizem contemporâneo de S. Francisco de Assis...

Vem,
Te direi em segredo
Aonde leva esta dança.

Vê como as partículas do ar
E os grãos de areia do deserto
Giram desnorteados.

Cada átomo
Feliz ou miserável,
Gira apaixonado
Em torno do Sol.

Desde que chegaste ao mundo do ser,
uma escada foi posta diante de ti, para que escapasses.

Inicialmente, foste feito homem,
com conhecimento, razão e fé.
Contempla teu corpo um punhado de pó,
vê quão perfeito se tornou!

Quando tiveres cumprido tua jornada,
decerto hás de regressar como anjo.
Depois disso, terás terminado de vez com a terra,
e tua estação há de ser o céu.


Sofreste em excesso
por tua ignorância,
carregaste teus trapos
para um lado e para outro,
agora fica aqui.

Na verdade, somos uma só alma, tu e eu.
Nos mostramos e nos escondemos tu em mim, eu em ti.
Eis aqui o sentido profundo de minha relação contigo,
Porque não existe, entre tu e eu, nem eu, nem tu.


Unos permaneçamos agora na PAZ e no AMOR incondicional...


Fiquem bem.


(A Mónada)

domingo, 3 de novembro de 2019

Mentes Crísticas



São os vossos pensamentos diários, que criam a vossa realidade, embora já tenham consciência disso, continuam a ignorar o resultado negativo do pensamento egóico. Olhem para vós! Como sentem a vossa realidade? Ela pesa-vos na vossa vida? Ou pelo contrário essa realidade flui livremente, mostrando apenas que faz parte do Caminho?

A resposta a tudo isso depende, da orientação que derem aos vossos pensamentos, se utilizarem a mente egóica, ela vos levará, a situações complexas, repletas de incertezas e medos que vos desviarão do objectivo principal que é Caminhar pela Vida, usando a Mente Crística.

Então, tenham em atenção, no que se baseia a prática da utilização da Mente Crística, ora esta Mente não pode ser mais do que PURO AMOR, assim através da sua utilização, passamos a compreender que só existem duas emoções, AMOR e MEDO, assim, se todas as emoções que experienciarem na Vida forem sentidas na vibração do Amor, essas são consideradas, expressões da Mente Crística, se forem sentidas na vibração do Medo, são consideradas expressões do Ego.

Como deveis então Caminhar pela Vida?

Não vos posso dar outra resposta que não esta, porque não há outra possibilidade, Caminhar sempre em Amor Incondicional, porque Ele é a Chave de todas as Curas. Então interiorizem o seguinte: «Devem começar o dia com AMOR, ao longo do dia continuar a enchê-lo de AMOR, e terminar o dia em AMOR», isto porque, esta é a expressão Crística, não existe outra. Por isso deveis transformar todos os pensamentos de indole negativa, em Amor, e enfrentar todas as situações, respeitando a Unicidade, com Amor e Paz.

Praticai diariamente a utilização da Mente Crística, Ela está em vós, e vos levará, à clareza, à firmeza e à estabilidade, e consequentemente ao equilíbrio emocional. Assim sendo, a vossa experiência de Vida, depende de como a interpretas, a partir da Mente Egóica ou através da Mente Crística.


Está na hora, não há tempo a perder, CUREM as vossas atitudes, e são tantas que necessitam ser curadas, EU vos aguardo no reencontro da PAZ e do AMOR.


Fiquem na minha Paz...

EU SOU A VOZ DO CORAÇÃO

EU SOU


MARLIZ


P.S.- Não deixe de Ler também a previsão das Energias para este mês de Novembro AQUI...

domingo, 27 de outubro de 2019

O impacto da Pisque Humana no Planeta


"Os Serafins governam os quatro princípios da matéria: a terra, a água, o ar e o fogo. São eles que reinam no topo da hierarquia celeste, na Séfira Kéther. Mas nós, os humanos, quando nos dirigimos aos Anjos dos quatro elementos, apenas contactamos com os servidores destas quatro Entidades sublimes. Não se deve fazer confusão. Só os Serafins são o fogo, o ar, a água e a terra verdadeiros; eles são inacessíveis e, quando decidem manifestar-se, fazem-no por intermédio dos seus servidores.

Se um ou vários dos quatro elementos agem impetuosamente no nosso planeta, muitas vezes a causa disso são os humanos: pelos seus atos e também pelos seus pensamentos, pelos seus sentimentos, pela sua conduta desregrada, eles estão sempre a perturbar as forças da Natureza, que acabam por intervir para restabelecer a ordem. Porque é que eles não compreendem que nada do que fazem fica sem consequências? A Natureza não é algo inerte, insensível; ela é viva, consciente, e reage sempre que os humanos ultrapassam os limites que ela pode aceitar."

Palavras sábias de Omraam Mikhaël Aïvanhov que nos revela o efeito perverso dos nossos maus pensamentos e formas de sentimento e o seu impacto no Planeta e em particular na Natureza.

A humanidade não tem o mínimo de consciência de como a sua psique colectiva impacta na energia do Planeta. Se é verdade que devemos andar todos preocupados com a poluição física, com os lixos domésticos e industriais, com a produção de energia à custa de combustíveis fósseis, com a produção de gases de efeito de estufa que estão alterar o clima e com a poluição dos oceanos provocada pelos plásticos que consumimos, não é menos preocupante a qualidade da energia que envolve o Planeta e que agrega as diversas egrégoras humanas produzidas pelos diferentes países.

Senão repara bem que cada um de nós quotidianamente produz pensamentos e formas de sentimentos, que cada vez mais são de: preocupação, medo, ansiedade, stress, depressão, raiva, angústia, frustração, ódio, etc.. Ora todas essas energias negativas vão saturando igualmente o ambiente e vão retornando às sociedades fazendo com que elas funcionem cada vez mais condicionadas. Individualmente cada um de nós sente isso nos nossos relacionamentos, fazendo aumentar a conflitualidade sob todo o tipo de formas e fazendo com isto reduzir a nossa própria produtividade tornando os ciclos económicos cada vez mais curtos e por isso havendo cada vez mais crises e mais profundas.

Por outro lado, a forte pressão dessas mesmas energias, saturando o ambiente e precipitando na Terra, necessariamente gera energias telúricas difíceis de controlar, as quais seguindo o “efeito borboleta” irão acabar por desencadear diversos tipos de cataclismos, terramotos, tsunamis, tempestades, etc. De facto, estes correspondem a processos de libertação energética que o Planeta tem mesmo de realizar para se libertar de tantas cargas psíquicas que permanentemente estamos a produzir agora já em ciclo vicioso e globalizado devido aos media.

Há que por termo a tudo isto e deixar de imputar a pretensos Deuses castigadores a fatalidade destes cataclismos. Somos nós os únicos responsáveis, tal como acontece com a poluição física que geramos através da nossa pegada ecológica. Da mesma forma também geramos uma imensa poluição psíquica que condiciona inevitavelmente a nossa própria existência enquanto espécie.

Olhem para o Planeta como um imenso Ser Vivo que se quer ver livre de uma espécie que o empesta, tal como nós nos queremos ver livres de qualquer parasita que possa prejudicar a nossa saúde.

Há que Meditar pelo Planeta. Há que “limpar” todas estas energias densas que produzimos, para melhorar o funcionamento das nossas sociedades e dos nossos próprios relacionamentos. Há que viver libertando cada vez mais pensamentos, sentimentos e acções baseadas no Amor, na Compaixão e na Fraternidade.

A Cura de cada um está na Cura do Planeta.

Ama-te! Ama tudo e todos! Para que também te possas sentir cada vez mais Amado.

Fica bem...

(A Mónada)

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

AMA-TE!...


Já pensaste na importância de te amares? Possivelmente não! Mas podes ter a certeza, que é o primeiro passo, para criares os alicerces necessários à construção desta Nova Terra. Como compreenderás, não podes expandir Amor se ele não existir dentro de ti, como tal, tens de fazer germinar essa semente que existe desde sempre no teu interior. Esta é uma grande mudança! Mas é imprescindível, ela tem de acontecer no Coração de cada UM. Neste momento AMA-TE é a palavra que se impõe.

Sei que te sentes um pouco confuso, mas é natural, é sempre assim quando algo que desconhecemos, se apresenta como um Novo Caminho, mas fica sereno, tu és capaz de ir em frente, começa por te enfrentares a ti mesmo, sem receios, senta-te diante de um espelho, olha-te nos olhos, e sente o que irradia aquele Ser que está na tua frente, não faças qualquer tipo de julgamento, não te magoes, observa apenas, e dá a oportunidade a ti próprio de compreenderes e aceitares com Amor todas as atitudes que tomaste ao longo da tua Vida, pois certamente foram as mais adequadas em cada momento. Mas, se mesmo assim ainda resistires, e entrares numa atitude de auto-julgamento, não te deixes dominar, muda imediatamente esse julgamento por ti próprio, fala docemente contigo e num acto de Amor olha bem dentro dos teus olhos, vê os anseios, o amor e os conflitos que ali se manifestam, mas vê também a tua capacidade de superar tudo isto com AMOR.

Observa a Paz que o teu olhar irradia, observa toda a tua expressão facial. Vê de que forma elas expressam a tua alma. Procura a tua criança interior, vê a sua alegria e o seu Amor, mima-a, dá-lhe o colo que ela tanto necessita, AMA-A a cada segundo de ti. Vê que tudo o que gostas de fazer, pode ser feito de uma forma alegre e amorosa, todas as ferramentas que necessitas estão no teu interior. Vê quanto conhecimento conquistaste ao longo da tua Caminhada, quantas experiências de Vida desde a mais tenra idade, tudo isso és TU na tua expressão no aqui e Agora. Nunca desvies o olhar do teu olhar, sente que no mais profundo de ti existe um imenso conhecimento que de forma amorosa é necessário ser transmitido a tantos seres que dele necessitam.

Então está na hora, de acordares deste sono ilusório, e partires para o caminho da divulgação através do Verbo Divino, sim esse teu EU Divino que habita o teu Coração, ELE aguarda que o libertes, e que te AMES, porque só conhece a sonoridade da energia amorosa.

AMA TUDO O QUE ÉS E SEGUE EM FRENTE, AS BARREIRAS ACABARAM. NASCE UM NOVO REINO DE AMOR E LUZ.

FIQUEM NA MINHA PAZ

EU SOU A VOZ DO CORAÇÃO

EU SOU

MARLIZ

domingo, 13 de outubro de 2019

Corpo da Glória



"No nosso corpo físico, cada célula possui um duplo etérico que é portador de memória. Todas as nossas células, em particular as que constituem a matéria cinzenta e a matéria branca do cérebro e do plexo solar, registam as nossas ações, os nossos desejos, os nossos sentimentos e os nossos pensamentos.

Estes registos são uma espécie de clichés e, depois de terem sido gravados, têm tendência a repetir-se; é assim que nasce um hábito. Portanto, se quereis substituir os velhos hábitos por hábitos novos, melhores, deveis mudar os clichés em vós, esforçando-vos por agir em conformidade com a nova orientação que desejardes seguir. Isso exige uma vigilância a todo o instante, mas pensai que a vigilância é o segredo para o sucesso.

Estai vigilantes, pois, para que cada gesto, cada palavra, cada pensamento e cada sentimento se tornem ocasiões para imprimirdes em vós os clichés da nova vida. Esses novos clichés farão com que entreis em relação com as regiões luminosas do Universo. Como essas regiões também existem em vós, recebereis delas as correntes mais puras, as partículas mais preciosas, para formardes em vós esse corpo a que a tradição iniciática chama “corpo da glória”."

Mais um excelente texto de Omraam Mikhaël Aïvanhov que começa por nos lembrar como se criam os elos de ligação nas nossas redes neurais cerebrais, mas de um ponto de vista da nossa energia etérica.

De um ponto de vista da neuro ciência está devidamente comprovado que os nossos hábitos, assim como os nossos vícios, tornam-se memórias difíceis de apagar pois igualmente actuam neurotransmissores e outros elementos hormonais que se espalham por todo o corpo fazendo com que eles se tornem físicos. Um exemplo disso acontece nas pessoas com patologias associadas às obsessões/compulsões em que as suas escolhas e as suas ações são terrivelmente condicionadas não somente pelas suas memórias psicológicas como também as fisiológicas.

Como refere o autor do texto, se de facto quereis substituir os velhos hábitos ou até vícios, então há que sobrepor a estas memórias ou ao que as faz despontar, novas formas de pensar e reagir. Tudo começa por um estado de vigilância constante sobre os nossos pensamentos repetitivos e tentar perceber o que os faz despertar.

Para tal há que dar pleno entendimento que tu não és os teus pensamentos, mas sim o Ser que pensa e que por isso os pode sempre observar e condicionar. Depois há que ir atrás dos pensamentos obsessivos (repetitivos) e perceber de onde vieram e o que os provoca. À medida que fores fazendo isto há sempre uma certa tendência para que os pensamentos mais obsessivos se escondam, pois eles não gostam de ser observados e muito menos seguidos. Porém, isto mesmo acaba por produzir um novo hábito que gradualmente se vai sobrepor ao anterior e por isso constitui um processo de cura.

No entanto a cura de alma só acontece quando tu entenderes o que lhes dá origem, o que os espoleta, pois é aí que está a memória (o nó psíquico que precisas de desatar) resolver. Nessa altura lembra-te de que és um Ser de LUZ.

Enquanto tal lembra-te também que és um Filho de Deus Pai/Mãe sempre... sempre... muito AMADO.

É aí que começas a fazer a ligação ao ALTO e ao teu verdadeiro Corpo da Glória.

Fica bem

(A Mónada)