quarta-feira, 22 de março de 2017

Reencontro de Almas


Já reparaste bem, na riqueza e no sentido que a palavra AMOR nos pode transmitir em todas as áreas da Vida, caso estejamos disponiveis para a aceitar em nós? É uma palavra pequenina, simples de pronunciar, mas tão doce no seu conteúdo, vibrando em cada Coração, num sentimento puro e profundo que se manifesta através da tua Essência.

Todo o sentimento de Amor é Sublime, tão Puro e Cristalino, assim é a Luz que o teu Coração irradia quando entras em sintonia com o AMOR do Pai/Mãe. O Amor perdura pela eternidade, ele acompanha a Alma Vida após Vida, vibrando nesta energia que é única, mas que se encontra ao alcance de todos que a queiram deixar manifestar em Si.

Podes ter tido vários corpos, é certo, que te serviram de veículo, para te manteres neste Mundo da fisicalidade, mas a tua Alma é única, plena de AMOR e eterna. Porque estranhas tanto então, esta energia que te pertence, e que na realidade ÉS TU?!... Porque teimas em pensar que não és um Ser Amoroso, e rejeitas ser amado?!... Sabes porque é que isso acontece? É muito simples de entenderes... Acontece apenas porque não te Amas e não aceitas ainda seres quem ÉS.

Ama-te deixa que o teu Coração se Ilumine, renasce para a Vida, quando tiveres instalada em Ti a certeza de quem ÉS, não mais irás negar esta realidade, apesar de achares que estás separado Fonte que Tudo É, e isso é pura Ilusão, pois tu és a expressividade do AMOR DIVINO na fisicalidade.

Acredita no teu Coração, nutre-o deste sentimento maravilhoso que é o AMOR, escuta-o, ele te dirá toda a Verdade que necessitas para o teu REENCONTRO com o Pai/Mãe nesta Nova Consciência Terrena.

«Ama Incondicionalmente e encontrarás na Alma do outro a tua própria Alma».

PORQUE SOMOS TODOS UM EM AMOR E LUZ.

Fiquem na minha Paz...

EU SOU A VOZ DO CORAÇÃO.

EU SOU

MARLIZ

sábado, 18 de março de 2017

O efeito dos nossos pensamentos na Aura


Em primeiro lugar começo por tentar explicar da melhor forma possível o conceito de Aura. A Aura é o campo energético composto por várias camadas que envolve o corpo físico. Pode também ser defenida por uma concha de Luz na qual evolui o indíviduo. Ela envolve-o com uma radiância colorida, mais ou menos extensa e dinâmica, conforme o estado de Alma e de saúde de cada individuo. É um campo de força emanado por todo o Ser. O bom estado do nosso campo aúrico, depende quase na totalidade, da qualidade energética que atraímos para nós.

Assim, podemos constatar, que depois de diversas observações e pesquisas, onde se verificaram alterações ocorridas na aura de vários indivíduos, poder concluir-se que a doença, é uma desarmonia entre os nossos diferentes corpos, sobressaindo entre eles a nossa maneira de pensar, de falar e de agir. Podemos considerar que a doença, é o resultado de muitas emoções acumuladas e não expressas ao longo da vida. Por outro lado também atraímos a doença porque no fundo é uma forma de fugir de certas situações, porque de forma alguma as queremos enfrentar, é um modo de chamar a atenção, é um mecanismo ligado à dor de viver, é também uma forma de culpar o outro, porque se pensa que ele é o agente causador deste desiquílibrio, criando dentro do peito, um sentimento de raiva e de rancor. Podemos ter ainda em consideração, a possibilidade da doença ter surgido numa vida passada. Mas independentemante da causa, verificamos que as formas de pensamento, criadfas por qualquer das situações, continuarão o seu trabalho de invasão no organismo físico e na nossa psique.

Para melhor entendimento, podemos caracterizar uma forma pensamento, dando o seguinte exemplo: - Uma forma pensamento de raiva, envia a sua mensagem ao 3º chacra, porque se trata de uma emoção, que será retransmitida à vesícula/fígado, podendo surgir náuseas, dores de cabeça e mais tarde problemas mais graves nos referidos orgãos. Podemos também observar a viagem efectuada por um pensamento, quanto maior for a força que o emite, mais rapidamente atravessará as diferentes camadas da aura como se de um raio se tratasse. Se esta emissão de pensamento, for clara, positiva, luminosa, as zonas atravessadas, serão reforçadas e beneficiadas por essa energia positiva. Se pelo contrário os pensamentos forem negativos, as diversas camadas da aura ao serem atravessadas, serão danificadas, começando a apresentar brechas energéticas no campo aúrico, permitindo a entrada de baixas vibrações no referido campo, que vão diminuindo a capacidade de resistência do indíviduo perante a doença, permitindo a entrada à desarmonia.

Assim consoante, o tipo de pensamentos, assim será a energia que atraímos para nós. Por exemplo: - se emitirmos pensamentos de amor, alegria, confiança, iremos atrair como um imã, vibrações do mesmo tipo, assim o pensamento ao ser emitido, chegará no fim da sua viagem a um ponto chamado égregora e elas existem para cada tipo de pensamento,, assim sendo cada pensamento chegará à sua égregora, de características positivas ou negativas. Este ponto é um ponto de confluência que não tem vida própria, ela vive em função dos pensamentos que a compõem.

E para se perceber bem a abrangência deste facto e a sua influência no campo aúrico de todo o Ser, observemos o seguinte: - Se criarmos um pensamento de revolta, este servirá de nutrição à égregora que o receber, e que vai ser atraída por outras pessoas que tenham criado esse mesmo pensamento em qiualquer outro ponto do planeta, o que irá acontecer é que a égregora vai reforçar esse pensamento de revolta. Tendo em consideração que todos SOMOS UM, vejam o quanto é necessário ter um cuidado extremo com aquilo que pensamos, caso contrário iremos causar desarmonia em nós, no colectivo e no próprio planeta. Assim sendo, também todos os pensamentos, límpidos, amorosos, positivos, enviarão um impulso a todos os que se queiram unir neste sentido, dinimizará todos os que querem fazer renascer o factor humanidade entre todos os SERES.

Tendo em atenção o que foi aqui mencionado, podemos compreender, como estamos ligados a cada Ser deste planeta, e como somos grandemente responsáveis, pelo que acontece, porque somos criadores, porque somos os pais dos nossos pensamentos, e como eles sõa tão importantes em todo o processo evolutivo do Ser Humano, e neste aspecto não temos como fugir a esta Verdade.

O QUE QUEREMOS ENTÃO PARA A NOVA TERRA?

O QUE QUEREMOS ENTÃO PARA CADA UM DE NÓS?

A DOENÇA OU A CURA?

PENSA NISTO...E ESCOLHE O TEU CAMINHO.

E JÁ DIZIA HIPÓCRATES: «SE ESTÁS DOENTE, PROCURA SABER PRIMEIRO O QUE FIZESTE PARA ESTARES ASSIM»


Fiquem na minha Paz

EU SOU A VOZ DO CORAÇÃO

EU SOU
MARLIZ

terça-feira, 14 de março de 2017

Voltar ao AMOR


Tu hoje tiveste um problema, um acidente e está com a neura. Vitimizas-te. Sentes-te miserável perante as circunstâncias da vida, como se tu não fosses o único responsável pelas tuas escolhas e por tudo o que te acontece.

Enquanto estiveres entretido a te achares vítima não consegues ver mais além… Sim! Lá nesse mesmo ponto onde a adversidade se transforma em uma nova oportunidade para gozares a grande experiência e o mistério que é estar vivo e poderes materializar tudo o que deseja.

Não precisas de saber meditar para ganhares consciência disto. Basta imaginar, visualizar, esse riquíssimo Mundo interior que é só teu. Lembras-te de quando eras uma criança e não te preocupavas com nada e em que acreditavas no imenso potencial da tua imaginação? Então?!?!?

Olha para as crianças vê se elas andam angustiadas e se andarem é por que os adultos as já as condicionaram para se sentirem assim. Normalmente na sua ingenuidade e simplicidade elas vivem felizes e alegres. Têm dificuldade em meditar, imaginar ou visualizar? Claro que não…

E Tu quem pensas que afinal és? Aquele que pensa ou aquele que observa os pensamentos?

Quando segues os teus pensamentos ficas de mau humor. Quando observas, tu até podes sentir o efeito dos pensamentos, mas como sabes que não te identificas com eles, não irás sentir essas emoções mais densas e ficas livre para AMAR.

Amando, as nossas culpas do passado viram pérolas de sabedoria. Os medos tornam-se em vivências de sucesso e por isso em imensas realizações no presente. O teu futuro constrói-se com os teus pensamentos e as tuas co-criações no momento presente.

Agora é aqui que reside a tua escolha. Como queres que seja a tua vida? Então vive-a assim no presente. Tu não és vítima de nada nem de ninguém a não ser de ti mesmo. Acidentes e acasos não existem. Tu co-criaste-os na tua vida, muitas vezes através da lei da atracção, para ganhares consciência que tudo o que se move no Universos é por AMOR.

Se te aconteceu uma desgraça ou contrariedade a responsabilidade é sempre tua. Assume-a, enfrenta-a com coragem e bravura pois és capaz de a superar se assim for a tua escolha. Não procures os culpados sem te encontrares a ti em primeiro lugar.

Se estás doente e sentes dor, agradece essa dolorosa companhia pois ela veio para te indicar e te reposicionar no teu caminho. Não te esqueças que se ela apareceu foi motivado por diversas formas de pensamento que desalinharam o teu Ser. Com ela tu vais aprender a voltar à tua trajectória e reencontrar a tua Alma.

Se tens altos e baixos no teu humor é porque ainda não aprendeste a dominar a tua mente e nos tempos que correm este sintoma tende a agravar-se. Este sintoma só significa que tens um caminho a percorrer, sobretudo no desapego, por isso se queres aplanar esses humores só tens uma forma…

Expandir o Amor incondicional da tua essência Divina por todo o teu Ser e tomares consciência que cada apego representa a tua prisão. Tu és um ser de LUZ e por assim seres eternamente, de nada mais precisas do que aprender a AMAR.

Fica bem

(A Mónada)

sexta-feira, 10 de março de 2017

Ábba no Coração


Ao sentir a vivência de cada momento da minha vida fico confusa. Eu não queria que acontecesse, apenas gostaria de deixar fluir tudo o que a vida traz, sem por obstáculos, sem complicar, mas a minha mente é muito tumultuosa, parece uma tempestade no mar, na maior parte do processo tudo isto se passa de uma forma inconsciente e profunda, oculta ao meu desejo de compreender. Peço ajuda à minha Mente Superior para equilibrar, ou seja, ensinar esta minha Mente Inferior a compreender as necessidades e os objectivos da Alma que me trouxeram ao planeta Terra.

Há uns dias, num momento de crise, eu resolvi gravar no meu coração esta frase: “Ábba das mil faces coloridas”. (Digamos que é uma forma de acolher em nós uma forma ternurenta de dizer: Paizinho, Aquele que com as suas mil faces coloridas tudo representa no Tudo que existe). Procuro-te sempre dentro de mim, tentando colorir cada momento da vida com a Paz e o Amor que a Tua Face me dá, encorajando-me a ultrapassar as pedras do meu caminho.

Mas mesmo assim, é tão difícil, para a complexidade da minha mente, sinto como se dentro de mim existisse um labirinto complicado e imenso, extramente enganador. Confunde-me, faz-me perder o sentido do caminho e perco-me em mim, deixando-me levar pela melodia do desânimo e da dor. Porém a qualquer momento vejo-me a pensar: Afinal quem não se perde num labirinto? Penso que acontece a qualquer um, em algum momento da vida. Eu perco-me vezes sem conta neste meu labirinto mental, mas não desisto de o percorrer, tentando compreendê-lo, até encontrar uma saída límpida e clarificadora, abandonando esta inquietude ilusória.

É perturbador pensar estar no caminho certo para me libertar... conseguir os meus objectivos, sorrir, saltar de alegria, até parece que renasci com a vontade de deixar expandir tudo o que aqui dentro de mim parece acorrentado. Preparo-me, porque vou mudar, e continuo em frente, mas de repente tudo cai e não sei como vou conseguir pôr em prática a vontade da minha Alma. Quanto mais tento avançar, tudo se torna mais escuro, e sinto-me rodeada pelas minhas próprias sombras, sim elas existem, dificultando a minha progressão.

Não tenho dúvidas que tenho de perceber, o que Sou, Quem Sou na minha Integralidade, mas ás vezes não deixa de ser estranho, eu sei “Que Sou um Ser de LUZ”. A Divindade vive no meu Coração... Como posso sentir-me abatida e sem soluções, nem opções corretas para voltar a ser quem realmente Sou.

Eu procuro a cura desta Dor que me corrói o corpo e a Alma. Eu sei quem Sou. Eu posso-me Curar e tenho a Esperança e o Poder da Fé e a Força de Vontade de não desistir. Resta-me esta capacidade de te procurar perceber o brilho que a Tu Ábba que habitas no meu coração emanas a cada momento. É assim que procedes irradiando todos aqueles que permitirem a tua entrada no seu coração, deixando que cada ser receba uma energia de Amor, a única que Cura todos os males e que é esplendorosa quando esse Amor Transbordante, acorda, desperta todos aqueles que se dispõem a aceitar a sua Amada Presença, permitindo assim a mudança, que é o factor indispensável para que todas as Curas possam acontecer. Em primeiro lugar está sempre a Cura da Alma.  Esse passo é muito importante. A Alma tem de obter a Cura para assim puder continuar a sua evolução, pois o nosso destino é a Eternidade, mas muitas vezes também é possível a Cura Física, assim o Conselho Cármico o decida, consoante o Contrato Encarnacional da Alma em questão. De qualquer forma há sempre grandes ajudas.

Sinto tristeza, pois na maioria das vezes, não consigo ver ou sentir, estas doces formas energéticas que tanto nos ajudam e eu quero tanto interagir com elas para também poder ajudar outras pessoas cumprindo a minha parte. Penso estar ainda meio adormecida por esta dor, pela doença, para que possa reconhecer e começar a Amar como uma “Filha Divina que Sou”.

Por momentos caímos numa escuridão total da nossa inferioridade mais profunda, e aí há que fazer escolhas rápidas e pergunto-me: - Afinal a quem quero alimentar, desgastando toda a minha energia, não sabendo como geri-la? Primeira reacção: Não vou ser capaz, estou esmagada pelo receio de fracassar nesta minha luta e nos meus compromissos, mas há que pensar rápido, eu sou teimosa, vou começar a limpar as minhas sombras, tentar compreendê-las, aceitá-las e seguir, deixando-as no lugar que lhes estará destinado, e tomar consciência, que por vezes reagimos de forma alterada, não levo aqui em conta os estados de doença e os  seus momentos mais dolorosos, mas sim a forma como estas explosões internas se reflete nos outros, muitas vezes nos que nos ajudam a tentar superar, causando nesses seres momentos de uma certa desumanidade incompreensível, que muitas vezes ainda me surpreendem pelos meus estados de impaciência, pela complexidade, ilusão e crença, que representavam o meu falso Eu.

Não é fácil conviver com a Sombra. Não é simples percorrer o caminho da LUZ, mas mesmo assim repito que não vou desistir, não posso, não quero aceitar. Vou combater-me a cada momento. Vou chegar ao fim do meu labirinto, quero iluminar o meu coração, gerar Amor, para que me possa inundar de LUZ, Paz e Amor, criando uma união saudável com a minha Mente, com o meu Ego e a minha Alma de forma harmoniosa. Não quero perder-me mais no meio da minha ilusão, de ser o que não sou, e eu vou conseguir concretizar para que o meu Ábba, e a minha Mãe Celeste me possam acolher ao fim de milhares e milhares de anos a caminhar, sem entender, que eu rodava sistematicamente à volta de mim mesma, dentro dos mesmos pressupostos que achava correctos.

Quero finalmente sentir-me acolhida nos braços do meu Amado Ábba. Ele protege-me do receio de me perder e sentir o colo de Minha Mãe. Preciso da sua força, do seu carinho, Amor e Firmeza, para vencer a minha luta interna e atingir a Cura, procurando aprender sempre as Leis do Amor, da Paz e da União, que me (nos) levará (ão) à Ascensão para o Amor, a Paz e a União Universal.

(Seja qual for a tua situação, nunca desistas, não percas a Esperança, a Fé, porque os teus Pais Celestes “são o Caminho, a Verdade e a Vida”, e sempre te irão ajudar a compreender a tua eternidade. Todos estamos a ser fortemente banhados por uma nova energia que nos levará a uma nova Terra. Os nossos corpos estão a sentir muito esta diferença mas ela é necessária ao Projeto Divino, seja qual for o teu caminho, seja qual for a tua condição.)

A Deus Pai/Mãe nada é impossível.

Fiquem na minha Paz.

Eu sou a Voz do Coração.

Eu sou.

MARLIZ 

segunda-feira, 6 de março de 2017

O Perdão



O Perdão é algo que temos de fazer todos os dias, não permitindo que o coração endureça e se feche perante o papel, a cena que o ego mais gosta de representar: a de vítima. Mas observando-me pergunto-me: mas isso é bom? É bom sentir-me sempre a vítima de qualquer drama da vida?

Pois... a resposta surge quase óbvia com a pergunta: E quem gosta afinal?

Isto é uma grande contradição mas continuamos sempre a representar esta cena no palco da vida. Mas porquê então?

Começo a encontrar a resposta num texto que descubro e que refere o seguinte:


"Por que não é fácil perdoar os outros? Geralmente porque pensamos que 90% da culpa é deles, que eu não sou tão mau quanto o outro. Então passo a carregar a carga das acções dos outros. Se o ego está muito ferido haverá o senso de correcção, de justiça: "eu sei que estou certo", "isso não é justo". Mas se eu começo a perdoar, realmente de dentro de mim, então esse tipo de sentimento e atitude começa a dissolver. Eu permaneço humilde e esse perdão me trará mais perto dos outros. Eu não guardo rancores, eu deixo ir." in Anthony Strano." 

Sinto então que o verdadeiro Perdão começa por me perdoar a mim próprio, por me sentir assim, a desempenhar a tal cena que afinal eu já não a quero mais na minha vida. Com isto desaparece a sensação de me julgar culpado. Ganho consciência do que me está a afectar e do que me faz sentir assim. Entendo que, para perdoar os outros, não tenho de os aceitar ou aceitar tudo o que me fazem, mas apenas não permitir sentir-me afectado por isso.

Muitas vezes é um sinónimo de bondade deixar os outros serem tal como escolhem ser e agir, e se tal me afecta devo então afastar-me. Assim, começo a entender e a encher o meu coração de compaixão por eles. Quando tal acontece não guardo mais rancores, raivas ou desejos de vingança. Deixo simplesmente fluir...


Quando assim é, começo também a sentir-me muito amado.

Fica bem...

(A Mónada)

quinta-feira, 2 de março de 2017

Observar a Mente


Expressar emoções é uma forma de co-criação que depende das nossas formas de pensamento. Estar de bom humor ou de mau humor depende por isso do que pensamos a vários níveis do nosso corpo mental.

No entanto, o mau humor depende em grande medida do balanceamento que a mente faz entre o passado e o futuro. Por isso quanto mais ela oscilar entre estas duas referências temporais mais denso e mais de mau humor se fica. Reparem que quanto mais a mente se posiciona no futuro, devido fundamentalmente ao corpo de dor que todos temos, mais medo sentimos. Porém quanto mais no passado ela fica, mais culpa sentimos.

Observem a vossa mente e a forma como ela oscila e saberão o tipo de sentimento mais denso que irá predominar.

O verdadeiro segredo está em lembrarem-se que o Ser que pensa pode não se identificar com o pensamento e por isso detém o poder de o observar também e ao fazê-lo retorna ao seu centro, ao seu momento presente.

Nesse lugar onde somos o observador que não critica, não julga e não objecta, estamos em contacto com a nossa essência e por isso o nosso bom humor e a nossa paz e serenidade retornam.

O exercício do silêncio da mente é algo que se pode praticar todos os dias e devolve-nos a alegria e o bem-estar. Mas só por si não chega pois não temos consciência do que acontece no nosso subconsciente e inconsciente e por isso não sabemos de facto se esse silêncio é total ou meramente superficial. A única forma de o confirmar é sentir as nossas emoções deixá-las fluir.

Não te esqueças que também não resolve obrigar a mente a ter só pensamentos positivos pois isso não passa de uma fina camada de formas de pensamento, escondendo outras muito mais densas.

Pois é… torna-se complicado gerir as nossas emoções e os nossos pensamentos mas acredita que é possível, na medida em que foques a tua atenção no momento presente.

Observa os teus pensamentos… garanto-te que por vezes é divertido pois o nosso ego, não gosta de ser observado e esconde-se. Mesmo assim continua a observá-lo e vezes sem conta vais espantar-te com as manhas que o ego utiliza para conseguir captar a tua atenção e tirar-te do teu centro, do teu agora. Repara que o ego é o teu auto-conceito baseado no que tu pensas ser mas não és. Por isso ele é construído de formas de pensamento predominantes.

É este um dos segredos para nos mantermos centrados…

Fazer uma espécie de jogo de atenção sobre os nossos pensamentos e ganhar consciência do que sentimos predominantemente.

Depois mantendo-nos assim centrados é deixar que a nossa essência vá modificando o nosso sentir… e amando vamos limpado as diversos camadas da nossa mente. Não te digo que é fácil e rápido… é sobretudo um trabalho de grande disciplina e paciência.

Mas é por Amor que o tens de o ir fazendo… Por amor a ti… e aos outros.

Não se trata de um Amor egocêntrico ou egoísta porque tu sabes que intensificando a tua LUZ outros irmãos iluminarás.


Por isso observa-te… e com esse olhar Divino deixa fluir o AMOR que há em ti.


Fica bem.

(A Mónada)