sábado, 29 de março de 2008

A Expansão da Consciência...


"Tudo o que existe é vivo, ainda que em graus diferentes, é claro, e a vida caracteriza-se pela emissão de radiações sempre novas.

Mesmo o metal de um colar, de um anel ou de um relógio que vós usais vibra no começo do dia de um modo diferente do da véspera.

Se fôsseis verdadeiramente sensíveis, sentiríeis que há uma diferença no movimento das partículas infinitesimais que compõem a sua matéria. Porquê?

Porque esses objectos estão em relação com as correntes incessantemente renovadas do Cosmos. Como vós não as sentis, julgais que não existe qualquer diferença, mas, na realidade, nada permanece o mesmo em parte alguma. E também o Sol é novo em cada manhã, quando nasce, pois há toda uma vida no Sol: correntes, projecções, erupções... E, se ocorrem mudanças no sol, como é que essas mudanças não se repercutiriam através do sistema solar, sobre os humanos, os animais, as plantas e também os metais?..."


Mais um excelente texto de Omraam Mikhaël Aïvanhov que aqui vos trago e que relativamente ao qual gostaria de destacar dois aspectos.

O primeiro prende-se com as energias subtis que todos sentimos e intuímos mas que teimamos em não querer acreditar na sua existência, uma vez que normalmente não chegamos lá com a nossa percepção tridimensional, viciados que estamos nas nossas rotinas diárias.

No entanto, a nossa Divina presença sabe que assim é, pois ela suporta-se nessas mesmas energias subtis cósmicas. A nossa consciência tem a sua existência num campo unificado consciencial Multi Universo, ou se quiserem, o mesmo é dizer DEUS.

O nosso caminho consiste pois em nos reencontrarmos com a nossa essência pois nela estaremos em contacto com DEUS e através DELE com todos os nossos irmãos e
com todas as diversas manifestações físicas da criação.

Por isso meu irmão, sai dessa ilusão em que vives e a que chamas de realidade. Vem em busca da tua divina presença. Só a começarás a intuir e a sentir na medida em que te encontras com a tua vacuidade, ou se preferires com a tua não manifestação física, nessas energias subtis.

É neste percurso que a física quântica nos dá diversas pistas que nos guiam. A física quântica e ciência moderna ensinam-nos diversos princípios que julgávamos, até há umas dezenas de anos, como conceitos absurdos. Por exemplo, dizermos que cada um de nós é uma simples probabilidade da forma como a energia se manifesta é hoje uma expressão que tanto é utilizada por um físico, como por um místico, para expressar a mesma coisa - A Vida em nós.

O segundo aspecto que vos gostaria de referir é de que a Vida é composta de mudança. As constantes pequenas mudanças cósmicas são no fundo característica própria da Vida pelo que todos os dias somos Seres diferentes, todos os dias mudamos, todos os dias existe um potencial de possibilidades de nos manifestarmos... até escolhermos Ser.

Fazer uma escolha é algo tão natural em nós que nem nos damos conta. Ao escolhermos, assumimos a nossa própria realidade que assim passa a ser única – a nossa. Por ser tão natural este processo ouso perguntar: Porque somos então tão resistentes á mudança? Porque nos sentimos mal cada vez que somos confrontados com o termos de mudar?

O confronto com o nosso Ego é terrível. As incertezas que para ele isto acarreta são razões mais que suficiente para o justificar. No entanto, pela busca da nossa essência não só desmontamos essa nossa maior ilusão de todas, como percebemos que só estamos verdadeiramente bem quando vivemos o mistério da Vida e aceitamos o risco de querer estar Vivo.

Nessa epopeia ao nosso Mundo Interior iremos por “mares nunca antes navegados”, como diria Luís de Camões, dando Luz a um novo Mundo pois o iremos ver com outros olhos e seguramente cheios de AMOR.

A isto se chama de Expansão da Consciência.

Fiquem bem em AMOR e LUZ.

(A Mónada)

terça-feira, 25 de março de 2008

REIKI


AMOR UNIVERSAL

Como já te apercebeste, ao leres este título, a palavra Reiki, não te passou despercebida, porque já a leste em vários sítios, na net, em revistas e em livros, mas mesmo assim ainda continuas a retrair-te no entendimento do significado desta Energia maravilhosa que o Pai/Mãe disponibiliza para ti. Isto porque ainda dás alguma atenção a influências externas, e consequentemente não ouvindo o apelo do teu coração que te quer guiar pelos caminhos do AMOR que te levarão à CURA.

Presta então atenção ao seguinte: - O REIKI é uma energia natural e harmoniosa, essencial a todo o SER vivo, é a dádiva da LUZ a todos os SERES. REIKI é a energia vital (KI), direccionada e mantida pela Sabedoria Universal (REI).

É um sistema de Cura pelo toque das mãos, de extrema simplicidade e eficácia. O toque Humano, transmite Calor, Serenidade, Carinho, Amor e Cura. O teu corpo irradia Calor e Energia, essa Energia é Fonte de Vida em Ti.

Todos os Seres trazem à nascença nos seus registos celulares esta Energia, só tens de a despertar em ti.

Então não há mais nenhuma razão, para te lamentares e recorreres a outros processos de Cura, que na maior parte das vezes te deixam abatido e cheio de efeitos secundários que só te fazem sofrer a nivel fisico e emocional, e sabes bem que o desiquilibrio emocional é Fonte de doenças físicas, se continuares a alimentar essa forma de estar na Vida, vais auto-destruir-te.

Quem melhor do que tu, para te tratares a ti próprio, NÃO PROCURES NOS OUTROS O QUE TENS EM TI.

Só tens de consultar o teu Coração, e se sentires que queres Caminhar, usufruindo desta maravilhosa Energia, é só fazeres a tua Iniciação em Reiki, e começares assim o teu processo de Cura a todos os níveis, e a partir desse momento nada mais será igual na tua Vida, entrarás num movimento intenso e espiralado de LUZ e AMOR que te levará a novos níveis de Consciência que te serão indispensáveis à tua evolução na Nova Terra que está a Nascer.

Agora centra-te no teu interior e sente a Minha Luz que preenche todo o teu corpo e interioriza o que se segue:

-Conhece-te a ti próprio, aceita-te como és, para poderes conhecer e respeitar o outro no seu processo de Vida.

-Aprende a contactar contigo diariamente, só assim conseguirás contactar o outro, estabelecendo o elo de comunicação harmonioso.

-Ama-te Incondicionalmente, só assim saberás Amar o outro, e te sentirás Amado.

Caminha nesta doce Energia e sentirás uma Explosão de Vida embebida de Luz Amor e Paz.

VOLTAREI A ABORDAR O TEMA REIKI

Fiquem na minha Paz

MARLIZ

sexta-feira, 21 de março de 2008

Um Hino à Primavera...

A Primavera chega de novo. Na Natureza é um novo ciclo que recomeça, as flores voltam a colorir os prados e as montanhas. Toda esta beleza anuncia o tempo da recriação.

Assim também tu irás renascer com uma consciência mais expandida e com uma vontade de ser melhor. Na Vida consciente o momento do renascimento corresponde a uma nova oportunidade para evoluir e aprender co-criando em cada momento a realidade que se quer que seja em AMOR.

Estás pronto para renascer? Já te libertaste de tudo o que te prende ao passado?

Na Natureza o exemplo das borboletas é a metáfora de um grande ensinamento.

Em determinada fase da nossa vida, tal como as lagartas, acumulamos conhecimento e sabedoria quase sem nos darmos conta do que isso representa. Até que, sem que nada esteja devidamente planeado nem com hora marcada, começamos a tecer um espaço único, a necessidade de um reencontro connosco mesmo, o nosso casulo.

Nessa altura iniciamos a preparação para o nosso renascimento. Há muitos factores que nos fazem iniciar a construção do casulo, tal como com a lagarta, e não tem que ser feito através da dor ou do sofrimento.

E assim, num belo dia despertamos e renascemos para uma nova forma de existência. A borboleta renasceu agora com uma forma brilhante, linda e extremamente atrativa.
Será que temos a capacidade de renascermos assim?

Esta fase da vida do novo Ser deve ser determinada pelo AMOR e pelo espalhar da sua LUZ. É admirável a beleza do novo Ser que inicia o caminho para a sua iluminação. Quando assim é por cada lugar que passa atrai a atenção de outros seus semelhantes. Tal é a força e a energia que irradia.

Este ano o regresso da Primavera coincide com o tempo Pascal e como nada é por acaso, esta feliz coincidência deve-nos levar a refletir que a morte de JESUS, que hoje se celebra, não foi mais do que o início desse mesmo renascimento para uma vida de iluminação terrena que dura há mais de dois mil anos.

Ao nos relembramos do que vem escrito sobre estes momentos, vejam como JESUS em plena União com o PAI/MÃE transcendeu a dor e o sofrimento com o Seu AMOR Incondicional a DEUS que TUDO É. Este é o supremo ensinamento da preparação para o renascimento.

Por muito que nos possa doer ou fazer sofrer, se em consciência ampliada nos ligarmos ao PAI/MÃE e ao seu FILHO muito amado no contexto do Divino ESPIRITO SANTO, em plenitude de AMOR, a nossa Ressurreição e Ascensão será redentora para todo o sempre.


Este mesmo ensinamento deve servir-nos para os diversos ciclos por que passamos na nossa vida e assim darmos-lhes o entendimento que permita as mudanças que vamos ter de operar em nós. É assim, pelo sentir da nossa alma, pelo alinhamento da nossa personalidade com ela, que nos devemos de ir modificando até nos tornarmos naquela bela mariposa que, em co-criação, espalha o aroma da Primavera por todo o lado.

É este o Hino à Primavera.


Renasçam para uma nova vida em AMOR Incondicional, iluminados por esta energia Crística.

Até lá e em recolhimento...


Fiquem bem.

(A Mónada)

segunda-feira, 17 de março de 2008

O PODER DAS PALAVRAS

Escuta peregrino a doçura da mensagem, no Céu encontrarás tranquilidade, mas atenção, não necessitas de olhar para cima, mas sim para o Interior do Teu Coração, sente em Ti a Pureza deste Azul Imaculado que te inunda de Paz, aos teus ouvidos chegam murmúrios de sons inimagináveis, cristalinos que te enchem de Alegria a tua Alma, dança, esvoaça, liberta-te, sê o Anjo que tu realmente Ès.

Deixa entrar o Sol na tua Vida, ele é fonte de calor, ele germina a semente que transportas no teu Coração, e quando ela crescer e der origem à linda Rosa Dourada que aí se encontra adormecida o teu Coração será Luz.

A Luz é Pai/Mãe é Origem, é a Fonte, é a Palavra, é a Intuição em Ti, é o Conhecimento é o que te leva à Sabedoria através da subida da escadaria da Vida, neste Amado Planeta Terra, que a Mãe Natureza, faz pulsar dia após dia, criando o mistério da Vida, para que nada te falte, nesta experiência no Mundo da Forma. O Universo te aguarda na sua Imensidão de Luz e Amor na Tua Caminhada para as novas dimensões de Consciência.

Esta forma de hoje te apresentar este tema, tem o intuito de te chamar a atenção para o seguinte:
Vê bem o que se conseguiu criar com este conjunto de palavras!... Uma mensagem profunda de Amor por Ti. Agora pensa!... O que poderás tu criar no teu AGORA e no do COLECTIVO com um simples conjunto de palavras, simples sim é verdade, mas elas são parte integrante de algo que diariamente elaboramos, as formas pensamento. E esse é um processo mais complexo dependendo da forma como as utilizas.

Estás no Caminho de uma Nova Terra na Luz do Amor Maior, faz bom uso das palavras e dos teus pensamentos e terás a Vitória em Ti.

Deixo-te agora um pequeno conselho, ergue a cabeça deixa fluir a Alegria de Viver que existe em Ti, pára de te queixares de tudo, e não procures soluções fora de Ti, porque dessa forma nada mudará na Tua Vida, o Exterior de Ti, é Pura Ilusão.

Procura no Teu Coração, é lá que estão todas as respostas, Cria uma Nova Vida Todos os Dias, e envolve-a de Amor Puro, só assim alcançarás os Teus Objectivos.


O AMOR É A CHAVE DE TUDO PARA TUDO O QUE É EM TODAS AS CONSCIÊNCIAS DE AMOR MAIOR.

QUE A PAZ SEJA A TUA COMPANHIA DIÁRIA.

Fiquem na minha Paz

MARLIZ

terça-feira, 11 de março de 2008

A Vida depois do desencarne...

Hesitei mas depois senti que tinha de o escrever... Na sequência dos dois post's anteriores sobre o desencarne... Faltava mesmo este.

Hesitei porque obviamente é aquele pode ser considerado o mais controverso, pois não há muitos casos de quase-morte cujos relatos sejam fidedignos e o texto que aqui publico baseia-se fundamentalmente em informações reveladas por médiuns a partir de espíritos comunicadores... adaptado e sintetisado a partir de uma obra que me fez vibrar e "devorar papel"... trata-se do livro: “O que fazer depois de Morrer” de Graig Hamilton-Parker.

«De um caso de quase-morte o Dr. Raymond Moody, no seu livro Life after Life, cita uma doente que alcançou o ponto de transição depois de um ataque cardíaco... »

“Enquanto me ia aproximando mais, tive a certeza de que iria atravessar aquela névoa. Era uma sensação tão feliz e maravilhosa que não há palavras humanas que a consigam descrever. Todavia, não era ainda a altura de eu atravessar o nevoeiro, pois, instantaneamente, do outro lado, apareceu o meu tio Carl que tinha morrido há muitos anos. Barrou-me o caminho, dizendo-me: - Volta já para trás... Eu não queria, mas não tinha alternativa e regressei de imediato para o meu corpo. Senti aquela dor terrível no peito e o meu filho pequenito a implorar: - Deus, devolve-me a minha mãe.”


Este texto sugere que seria muito confortante pensar que só vamos para o outro lado do véu, para a dimensão espiritual, quando o nosso plano de vida terrena for cumprido... Mas será sempre assim? Pois, nem sempre é assim...

«Espíritos comunicadores referem a diferentes médiuns, a existência de um determinado plano ou instância a que lhe chamaram “a mansão da cura” onde as almas que foram “danificadas” podem ser devolvidas ao seu estado completo. Se tiver uma morte violenta ou de doença prolongada ou ainda outra qualquer forma de morte que possa ter condicionado a sua alma. Saiba que irá passar aí algum tempo até poder seguir a sua jornada evolutiva. (aqui o contexto de tempo e a designação “a mansão da cura” são irrelevantes, no entanto a sua referência é para tornar esta instância ou plano subtil mais compreensível)

Quando for levado para este sítio, irá cair num estado de descanso absoluto semelhante ao que podemos descrever como sono onde não há sonhos desagradáveis, nem febres, nem delírios. A sua alma está ligada à sua Mónada e passará por um processo de cura. As pessoas que na fisicalidade terrena se lembram ou pensam em si com amor, sem choros, apegos e paixões distorcidas, fá-lo-ão avançar mais depressa.

É por vários médiuns referido que os pensamentos de benevolência e amor incondicional projectados para aqueles que partiram irão ajudá-los durante este processo. Mas a tristeza, as saudades e outras formas de apego irão manter presas estas almas a si atrasando a sua entrada neste plano de cura. Assim, quando alguém parte, envie-lhe pensamentos de alegria e encorajamento. Os pensamentos sombrios só actuam como obstáculos à alegria e ao AMOR que o espera. »

Muitos autores referem a Vida logo após o desencarne como um sonho lúcido. Já teve algum sonho de que se recorde bem e o sentiu como o tendo vivido de facto? Teve a oportunidade de verificar como se desloca? Como funciona o tempo? Reparou no significado destas dimensões?

Durante este sonhar lúcido as deslocações espacio-temporais são imediatas, a ausência de gravidade dá-lhe a sensação de pairar...

«Algum do mais importante trabalho nesta área de pesquisa foi feito por Robert A. Monroe (1916-1995) fundador da fundação com o seu próprio nome a qual que não só se dedica ao estudo do sonhar lúcido como das experiências e vivências fora do corpo. Em especial, inventou uma tecnologia chamada hemi-sync, que consiste em introduzir som nos dois hemisférios cerebrais para facilitar estes estados alterados de consciência.

Monroe afirmava que durante os seus sonhos lúcidos (ou se preferirem meditações transcendentais) e experiências fora do corpo, entrou em contacto com a vida para além do desencarne e com diversas entidades com as quais realizou viagens espacio-temporais. Posteriormente, por ter observado como as almas perdidas da LUZ sofrem e carecem de ajuda, treinou diversos seguidadores nas técnicas de meditação e experiências fora do corpo, para serem guias de almas perdidas em seus apegos, para planos superiores de resgate e cura. Chamava a estas técnicas “círculos de salvamento”.

Das experiências de Monroe retem-se que o tipo de sonhos que nós temos dependem das nossas memórias, medos, esperanças, desejos e crenças. E, tal como os sonhos refletem a nossas personalidades e crenças de quando estamos acordados, também o plano em que entramos depois do desencarne depende daquilo que fizemos e acreditámos quando estávamos vivos no nosso corpo físico na Terra. »

Temos por isso de nos livrar de todos estes apegos terrenos para podermos ascender mais facilmente, certos no entanto, que teremos sempre toda a ajuda em AMOR do PAI/Mãe para tal.

Termino com uma citação de Leonardo da Vinci.

“Tal como um dia bem passado traz um sono feliz, também a vida bem vivida traz uma morte feliz”

Fiquem bem na PAZ de uma VIDA EM AMOR ...

(A Mónada)

sexta-feira, 7 de março de 2008

ORAÇÃO AO PAI/MÃE


ORAÇÃO AO PAI

Pai Tu que És
A LUZ de todos os Universos
De Amor Maior
Glorificada seja
Tua Luminosa Presença
Em nossos Corações
Que a Tua Vontade
Ecoe na Terra
Como cânticos Celestiais
Que o Teu Amor
Fonte de Luz inesgotável
Jorre sobre nós
A abundância e a Paz
Faz ainda com que
O Perdão e o Amor
Sejam uma prática diária
Em nossos Corações
Guia-nos no regresso
Ao Teu Reino
De Luz
No silêncio
Do nosso Interno
Que assim seja
Agora e para sempre
AMEN


ORAÇÃO À MÃE

Avé Mãe Celestial
Doçura plena
Coração de Cristal
Bendita Sejas
Entre todos os Povos
Bendito Seja Teu Filho
Em nossos Corações
Que a Tua Luz Replandescente
Através do Teu Imaculado Coração
Interceda junto do Pai
Para que encaminhe
Seus Filhos e Filhas
Para a Vitória da Luz
Sobre todas as coisas
Que a Fé Cresça em cada Ser
Que nossos Corações expandam
A Tua Luz
Para um Novo Amanhecer
Na Terra.
AMEN



Após a leitura destas belas palavras, que são um bálsamo para a Alma, espero que faças de cada dia uma ORAÇÃO, agradecendo através do diálogo que ela nos proporciona com o Pai/Mãe, tudo o que o nosso Criador nos põe ao nosso dispor para permanecermos no Caminho da Ascensão.

Fiquem na minha Paz

MARLIZ

segunda-feira, 3 de março de 2008

O momento do DESENCARNE...

Na continuação do post anterior abordamos agora o momento do desencarne...

“A Mónada dá a ordem para desencarnar e o psíquico começa a desactivar os chacras, sendo que o primeiro a ser desactivado é o chacra da raiz. Neste instante, o que se sente é um súbito frio na extermidade dos membros (pés e mãos) que começam também a ficar pesados. O desligar deste primeiro centro energético significa o fim da dor física. Este é o momento em que se começa a sentir uma leveza, como se todos os pesos da vida tivessem sido tirados de cima. Mas se o ser está muito identificado com o corpo, ele tentará mexer os membros, procurando contrariar ou até dificultar os processo de desencarne.

À medida que o segundo chacra começa a ser desactivado, os braços e as pernas ficam imóveis; simultaneamente começa a sentir-se uma sensação de infância, de inocência, e dá-se uma espécie de pacificação profunda com as leis do Universo. A nossa criança interior começa a emergir. Então toda a energia do ser começa a concentrar-se na zona cardiaca e na cabeça, tal como acontece nos casos de hipotermia, sendo acompanhada por uma expansão ou libertação da consciência.

Quando o terceiro chacra é desconectado, fica-se subitamente hipersensível à atmosfera psíquica envolvente, sente-se tudo o que se passa e a sensibilidade ao plano astral aumenta exponencialmente.

Quando o quarto chacra é desactivado, a pessoa sente o último impulso de despedida, o último fôlego. Acontece algumas vezes as pessoas abrirem muito os olhos e assim pernanecerem. Tal é o deslumbramento perante a LUZ do seu EU SUPERIOR que o vem buscar. Por vezes acontece o ser esboçar um sorriso final típico do encontrar uma PAZ que remove toda a angústia. O psíquico começa a atrair para si o “eu consciente”. Quem acompanha o ser nesta fase do processo de desencarne deveria entrar em oração, em silêncio total, oferecendo o seu campo vibratório como estabilizador.

No momento em que o quinto chacra é desligado, o ser adquire clarividência auditiva e começa a ouvir os Anjos sendo que o processo de desencarne é acompanhado a partir de agora por Eles. Se for permitido, vem até ao plano astral um ente querido (ou a sua expressão astral) para facilitar a saída do corpo físico, auxiliando o processo de desapego e “desidentificação” com aquele corpo cuja a sua energia etérica se estar a extinguir.

No momento em que o sexto chacra é desactivado, começa a ver-se com os olhos do psíquico e, nesses sessenta segundos anteriores à transição, contacta-se com toda a dor produzida ao longo desta vida, assim como se contacta com a Luz gerada. Este é o momento que se faz a revisão de toda uma vida... as alegrias, as tristezas, os ódios, todas as emoções co-criadas. A desactivação deste sexto centro energético assinala o início da morte cerebral e, com ela, a perda total da percepção objectiva. A visão física desaparece mas a audição vai permanecendo mais um pouco. À medida que o cérebro vai morrendo o ser vai-se tornando telepático e começa a ter consciência do que todos os viventes pensam à sua volta.

Quando o sétimo e último chacra é desligado, o cérebro morre e o ser liberta-se ficando a flutuar logo por cima do corpo. A saída do corpo faz-se pelo alto da cabeça ou chacra da coroa. Com a morte do cérebro dá-se, em termos de percepção final, uma espécie de relâmpago muito luminoso. Por ordem da Mónada o cordão de prata é cortado pelo Eu Superior. O ser renasceu para a sua nova Vida enquanto Espírito.

Terminou então, definitivamente, a vida naquele corpo.
Sequencialmente, os sete centros energéticos designados por chacras, foram desactivados um a um. Durante todo este processo a cada diminuição de percepção objectiva no plano tridimensional, existe um correspondente aumento da percepção nos planos subtis de consciência.”

Texto adaptado do Livro “A MORTE – A grande viagem Interdimensional” de Paulo Nunes.

Escolhi este texto pois sintetiza muito bem o que diversos outros autores que tive a oportunidade de consultar e ler, como por exemplo Graig Hamilton-Parker e André Louro de Almeida, referem nos seus livros e palestras.

Espero assim ter contribuido para desfazer o medo do momento do desencarne.

Fiquem bem na PAZ do reencontro com a vossa LUZ...

(A Mónada)