sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

O Curador

Albatroz

Muitas lendas falam-nos do preço a pagar por se ter saído do Jardim do Éden, e por viajar a âmbitos superiores da consciência.

O relato de um Xamã Esquimó dá-nos a chave:

Os Espíritos do bem procuravam um Xamã para uma comunidade esquimó, para substituir o anterior, que tinha morrido.

Elegeram um adolescente preparam-no para cumprir esse papel. Levaram-no ao mundo subterrâneo e cortaram-no em inúmeros pedaços, de tal maneira que não restaram ossos em conjunto...

Leia o resto do texto e comente no Blog:

Fuzil Cósmico

Um excelente texto:

“El Pescador y la Doncella sin manos” Robert A. Johnson

Numa iniciativa conjunta os seguintes blogues possuem todos o mesmo post colocado a 28 de Dezembro:
Nave Azul
O Cálice
Postais da Novalis
Fuzil Cósmico
Difusão da Alma
Com a Palavra, o Meu Lado Infinito

(por razões técnicas só fará a sua publicação mais tarde)

sábado, 23 de dezembro de 2006

FELIZ NATAL





Feliz Natal para todos...

Até dia 28 com o post conjunto dos 6 Blog's.

Fiquem bem.

Abraço GRANDE de LUZ para todos vós.



(A Mónada)

quarta-feira, 20 de dezembro de 2006

Universos Paralelos

Porque achei espectacular e muito importante... ora leiam por favor:

“BBC Horizon - Parallel Universes" é um documentário que trata da mais nova teoria da física, que uniu a teoria das super cordas com a teoria da super gravidade, a chamada "Teoria M", que tenta explicar o que veio ANTES do Big Bang. Os físicos chegaram a conclusão que, para o universo ser sustentável matematicamente, ele precisa necessariamente ter 11 dimensões. E que na verdade o big-bang não foi a explosão de uma singularidade, mas sim o choque entre duas dimensões. Conclui que nosso universo é na verdade um Multiverso, com infinitos universos.

E agora vejam o vídeo do documentário (está legendado em Português):

Atenção: Desliguem primeiro o som do BLOG e sentem-se confortavelmente pois vai demorar cerca de 45 minutos...

BBC: UNIVERSOS PARALELOS


Fiquem bem,

(A Mónada)

segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

A base do Medo é a ausência de Amor e da LUZ

Já há muito tempo que não escrevo... Tenho escolhido alguns textos, que na maioria das vezes me vão surgindo à frente, sentindo que "batem certo" e então vou transcrevendo... Vou assim publicando post atrás de post, nestes últimos tempos.

Desta vez escrevo quase em modo automático o que me for surgindo.

Assim surgem-me as primeiras pergunta: Qual a origem do medo? Porque por vezes tenho medo de escrever aqui?

É então que me retorna o tema do Amor, sentir o Amor dentro de mim... Afinal o que é a auto-estima? Não será esse mesmo amor que nos vai invadindo a partir da vacuidade do Ser?

Reparem agora que o ter medo de escrever pode muito bem ser, o ter medo do cair no rídiculo de que estas palavras escritas nada mais representem que a minha mente. Afinal a mera ilusão do Ego. Assim sendo de nada valeriam a não ser para criar ainda mais ilusão.

Agora pergunto-me de novo: e este pensamento, tem alguma lógica? e mesmo que assim fosse qual seria o problema? Seria o de ter menos leitores?

É engraçado, mas nada disto faz qualquer sentido pois criei este BLOG simplesmente porque me dava gozo escrever e não para que outros o vissem. Porque gosto de partilhar ideias e conhecimentos nestes domínios do Ser e dele não dependo para nada.

Mas o que é certo é que durante uns tempos deixei de ser eu a escrever os meus post's.

Se este BLOG por qualquer acidente desaparecesse, nada mais aconteceria do que provavelmente recomeçar de novo, com novos post's, e provavelmente aproveitaria para apurar o design.

Hmmmm! Assim, indo cada vez mais fundo, sinto que na origem do medo está o afastamento da fonte do Amor que é a minha essência. Não sei bem qual a relação que tem, mas tenho consciência que sempre que estou "centrado" e consigo fazer o silêncio da mente, na vivência do agora, sinto-me invadido por esse Amor, mas sempre que começo a pensar... a pensar no passado e com ele a tentar vizualizar o futuro, o medo vai retornando e as sensações de incerteza e insegurança apoderam-se de mim. É muito subtil...

Já se deram conta disso? Passa-se o mesmo convosco?

Tenho também a consciência que sempre que me mantenho no estado de "coração terno" e de "gratidão" sou mais imune ao medo.

Meditando, intuo que o que afinal sustenta todos os meus medos é o afastamento dessa fonte de Luz que eu sou, desse Amor que existe em mim e que se conecta à fonte de um AMOR ainda mais Supremo.

Por isso tenho necessidade de estar sempre ligado com o meu Eu interior, esse núcleo de Amor, para que assim o possa sentir pelos outros e confiantemente colocá-lo como intenção em todos os meus afazeres diários.

Quando assim não faço, sinto que tudo me começa a correr mal e volto a sentir medo...


Um abraço de LUZ para todos.


Fiquem bem e com muito AMOR.


(A Mónada)

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

O Portal Estelar 12:12 e o Solstício...

Canalização do Arcanjo Miguel através de Célia Fenn: (última parte)

Sagitário, a Casa Nove, que representa a Espiritualidade e a Consciência Superior é o "lar" actual do Centro Galáctico em relação à Terra. Em Dezembro, seis dos planetas passarão por Sagitário ou estarão situados nele, criando a energia dinâmica de Transformação e ondas de luz radiante, já que cada planeta atua como um prisma ou acelerador para os Códigos de Luz Cósmica evolutiva que fluem do Centro Galáctico.

O Sol estará em Sagitário até o Solstício de 22 de Dezembro, data em que entrará em Capricórnio, e Vênus permanecerá em Sagitário até 11 de Dezembro.

A Lua Cheia será em 5 de Dezembro e estará em Gêmeos, a Casa Três. Gêmeos traz o Ar, a energia mental de "Gêmeos", e nos permite integrar, reconciliar e equilibrar nossos aspectos complementares. Combinada com Vênus em Sagitário, é um momento ótimo para as Uniões entre Companheiros de Alma serem activadas ou equilibradas. A energia do Feminino Divino Solar estará particularmente potente nesses momentos. Se fizerem uma meditação de Lua Cheia, seria recomendável incluir música e dança para ajudar a fazer fluir as poderosas energias do Ar e Fogo. Em 6 de Dezembro Marte entra também em Sagitário… O Deus e a Deusa se unem na Casa Nove da Consciência Superior.

Em 8 de Dezembro o Portal Estelar 12:12 começará a se abrir, e que chegará ao seu clímax no dia 12. Nesta breve janela temporária que vai do dia 6 ao 11 de Dezembro tanto Vênus quanto Marte estarão em Sagitário, gerando equilíbrio e trazendo os novos Códigos de Luz para as relações de Consciência Superior entre Companheiros de Alma. A onda de energia 12:12 ajudará a criar uma maravilhosa união e integração, permitindo que muitos comecem a trabalhar em direção da realização das Uniões de Chamas Gêmeas no Plano Terrestre. Essa é a possibilidade que foi preparada nas Redes Cristalinas da Terra durante o Trânsito de Vênus e quando a Matriz do Paraíso foi activada.

O Portal Estelar 12:12 se fechará em 16 de Dezembro, mas virá seguido do Solstício de 22 de Dezembro. Nesse momento a Terra se encontrará num ponto de completo de equilíbrio e harmonia, situada naquele ponto de repouso e de mudança que há entre o Verão e o Inverno. Aqueles que estão envolvidos com a Consciência Cósmica e Planetária serão capazes de sentir e experienciar este momento de Alegria e Equilíbrio Total, e dentro das Uniões entre Companheiros de Alma haverá um momento de absoluto júbilo, conforme os companheiros, que representam às energias dos Divinos Masculino e Feminino, permitirem-se unir em completo equilíbrio e Amor Incondicional total.

Em 25 de Dezembro os iluminados seguidores dos passos de Cristo celebrarão o nascimento do Mestre Planetário, Yeshua Ben Josef, e de sua Chama Gêmea, Mariam, também conhecida como Maria Madalena. Que possa este dia, em que se celebra a chegada da Consciência Superior Crística ou Cristal no Planeta e a activação da energia da Chama Gêmea na Terra, ser festejado com Alegria e Amor Incondicional.

Que seja uma celebração da Divina Luz Crística dentro de cada Homem e Mulher do Planeta e uma celebração da União Superior das Divinas Energias Masculinas e Femininas Crísticas!

Paz, Graça e Amor para Todos Vocês.


Fiquem bem.

Abraço de LUZ para todos,

(A Mónada)

terça-feira, 12 de dezembro de 2006

O CORAÇÃO É A CHAVE


Canalização do Arcanjo Miguel através de Celia Fenn: (Continuação do post anterior)

Enquanto viajam pela "zona do medo", essa antiga e cristalizada barreira feita de medo e de mentiras, deverão ser autênticos Guerreiros do Coração. Permaneçam centrados no vosso Coração e não permitam que a vossa mente se volte para a ira e o medo. Nesta época do ano, quando as pessoas estão com muitos eventos e frequentemente estão nervosas e irritáveis, é muito importante que "suspendam" os vossos julgamentos mentais e emocionais e que vivam somente no amor do Coração.

Muitos de vocês foram treinados nessas habilidades este ano passado, mas agora chegou o momento de estar verdadeiramente no vosso Coração e viver a partir do vosso Coração.

Vamos lembrar em poucas palavras o que talvez possam sentir e experienciar nesta época, para depois dar algumas sugestões para que possam lidar da melhor maneira com qualquer sintoma de distorção ou perturbação eletromagnética que possa surgir.


A nível FÍSICO talvez sintam-se cansados até o ponto de exaustão, já que seus corpos energéticos estão girando sobre si mesmos mais depressa em resposta às aceleradas frequências de luz. Podem sentir "ondas" de energia fluindo através de seus braços e pernas e, em certas ocasiões, as sensações podem tornar-se inteiramente muito poderosas. Talvez se esforcem para dormir a noite para depois sentirem-se muito cansados de dia, querendo dormir. Portanto, descansem tanto quanto puderem. Tudo está Bem.

A nível EMOCIONAL talvez sintam-se como se estivessem vivendo numa montanha russa! Para cima e depois, para baixo. Talvez se sintam irritáveis e facilmente explosivos. Ou talvez se sintam nervosos ou deprimidos. Às vezes, talvez sintam um intenso nervosismo e ansiedade e tenham medo de ficar sozinhos. Talvez sintam como se fossem morrer, mas lembrem-se que estão atravessando uma zona artificial de medo criada pelo homem, feita de mentiras e ilusões, assim limitem-se a respirar e libertar. Tudo está Bem.

A nível MENTAL talvez sintam-se como se tudo estivesse se movendo muito depressa, o que lhes fará sentirem-se mentalmente esgotados e a ponto de explodir. Isto porque, na cultura ocidental, a mente é hiperativa e está super estimulada de toda a forma possível. Um aumento na frequência de luz estimulará e exacerbará ainda mais uma situação que já está fora de equilíbrio. Relaxem, respirem, deixem que as coisas fluam na sua própria velocidade e não tentem "reter" nada, jamais conseguiriam. A melhor resposta é "desacelerar" e apenas "fluir" sem resistência, apenas com aceitação. Tudo está Bem.

Ao nível do CORAÇÃO podem SENTIR tudo com muita intensidade. Celebrem. Estão se religando com o Batimento do Coração Cósmico e estão sentindo o fluxo da Energia Criativa Divina em cada uma das vossas células.

De facto, queridos Trabalhadores da Luz, quanto mais estiverem na energia do vosso Coração, mais fácil lidarão com os fluxos Galácticos de Amor e Luz. Pois a energia Celestial flui para o vosso Chacra do Coração para depois fluir pelo vosso ser físico para dentro das Redes Cristalinas da Terra, sistema conhecido como a Matriz do Paraíso.

Portanto, neste tempo de incrementada emissão de luz, deixem a energia fluir através do vosso corpo e para as Redes. Podem fazer isto através de Cerimônias Intencionais de Luz e Alegria. Utilizem este mês para celebrar: cantem, dancem, toquem música, joguem, desfrutem da vossa comida, façam sexo de maneira maravilhosa… deixem que o vosso corpo físico seja o instrumento de alegria e de risos de sua Alma. Compartilhem esse Riso e essa Alegria com os outros.

Se puderem, estejam ao ar livre, conectem-se com as Fadas, os Devas e os Espíritos da Natureza! Brinquem no Cosmos, sintam os fluxos do Amor e da Luz, libertem todo medo… Tudo está Bem e como Deveria Estar!

O Humano Galáctico é a Ponte de Luz entre as energias Cósmicas e as Grades Cristalinas do planeta Terra. A Matriz do Paraíso que foi activada em Março de 2005, sob a direção de Vênus, está sendo "iluminada" com o amor apaixonado da energia do Feminino Divino enquanto Vênus dança pelo signo do Fogo de Sagitário no seu papel como a Criativa e Transformadora Deusa Solar do Fogo!... (a continuar em próximos post's)


Abraço de LUZ.

Fiquem bem,

(A Mónada)

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

A DANÇA DO FOGO CÓSMICO


Canalização do Arcanjo Miguel através de Celia Fenn:


"Queridos Trabalhadores da Luz, no mês de Dezembro haverá um aumento significativo da intensidade do fluxo de Luz e Amor provenientes do Centro Galáctico, assim como uma activação da mudança e da evolução por todo o Cosmos. Os Novos Códigos de Luz serão transmitidos às Redes do Paraíso para activar o próximo ciclo evolutivo do Planeta Terra. A energia do Feminino Divino, em sua forma Solar, energizará e activará estas mudanças no vosso planeta.

Queridos Trabalhadores da Luz, podem esperar um aumento da radiação e da luminescência que emanam a partir do vosso Sol, à medida que a Terra prossegue a sua viagem em espiral para um novo ciclo, Por sua vez, isto acelerará a consciência no planeta até uma Oitava Superior. Podemos dizer, queridos, que estamos esperando uma mudança significativa na Consciência Colectiva neste período, começando com o Portal Estelar 12:12 de 12 de Dezembro e prosseguindo com o Solstício de 22 de Dezembro.

De que consistirá esta mudança?


Bem, falámos para vocês do Despertar Quântico e da mudança para novos modos de percepção, por isso diremos que muitos de vocês alcançarão um nível de consciência em que começarão a "ver" as Dimensões Superiores no periodo em que estiverem acordados. Entenderão a natureza da realidade quântica e caminharão pelo Tempo do Sonho seguros e confiantes.

E quando estiverem realizando esta mudança começarão a compreender como criam a sua própria realidade a partir de dentro. E começarão a se perceber como "Humanos Galácticos". Porque o vosso Corpo de Luz Galáctico estará completamente conectado e estarão conscientes da presença dos Seres Celestiais que trabalharão com vocês. Estes Seres sempre estiveram aí, esperando pacientemente que estivessem preparados para vê-los e trabalhar com eles. Porque, meus queridos, só irão "vê-los" com os vossos Corações. A vossa mente não aceitará as suas presenças, já que a Consciência Coletiva por enquanto se negou a permitir que existam em seu quadro mental de realidade. Mas agora que entram numa realidade baseada no coração, verão com os olhos do Amor e sentirão e receberão esse Amor que sempre esteve ali. Será uma Reunião Jubilosa em que começarão a fundirem-se com as vossas Famílias Galácticas.

Mas podemos dizer que este será um processo turbulento. Vocês são pioneiros que estão derrubando as barreiras conscientes do medo e da ilusão, que têm milhares de anos, para ser os primeiros a dar as boas-vindas às suas Famílias Celestiais. À medida que os vossos Corpos de Luz Galácticos estiverem infundidos com a energia radiante vinda do Centro Galáctico através de Sirius e do Sol, experimentarão uma rápida aceleração para a Consciência Galáctica.


Atravessarão essa "zona de medo" da Consciência Coletiva, essa barreira de medo feita pelo homem que foi criada para mantê-los sozinhos, separados e desconectados da vossa herança e origens Galácticas e Celestiais. À medida que se reconectam, terão que ser destemidos e corajosos, aceitando o vosso direito de nascimento Cósmico com Alegria. Enquanto ultrapassam essa "zona de medo", ela começará a se dissipar e se decompor, deixando que muitos outros mais despertem para as suas origens Celestiais como verdadeiras "Crianças das Estrelas". Porque, da mesma forma que todos os Humanos são “Anjos Humanos", todos os humanos são “Crianças das Estrelas" e têm as suas origens nas Famílias Estelares do Cosmos.

À medida que a luz aumenta e as velhas barreiras do medo se dissolvem, uma vez mais estarão preparados para unirem-se às suas Famílias Cósmicas. A Família Humana, das quais vocês são seus primeiros representantes, se expandirá em Paz e Amor, para se conectar com as suas relações Pacíficas e Amorosas no Cosmos"... (a continuar em próximos post's)


Abraço de LUZ para todos.


Fiquem bem.


(A Mónada)

quinta-feira, 7 de dezembro de 2006

Hoje vou tentar espantar-vos de novo com algumas citações que encontrei na web quase todas relacionadas com algo de comum entre si, tidas como proferidas por ilustres homens contemporâneos das Ciências...

Ora leiam:


"O mecanicismo, com todas as suas implicações, retirou-se do esquema da ciência. O Universo mecânico, no qual os objectos se empurram, como jogadores numa partida de futebol, revelou-se tão ilusório quanto o antigo universo animista, no qual deuses e deusas empurravam os objectos à sua volta para satisfazer seus caprichos e extravagâncias".
Sir James Jeans

"É a mente que vemos reflectida na matéria. A Ciência da Física é uma metáfora com a qual o cientista, como o poeta, cria e amplia significado e valor na busca por entendimento e propósito... O que torna a ciência útil para nós e que nos faz apreciá-la é a previsibilidade, objectividade, consistência e a generalidade, mas não existe de facto em alguma realidade externa, independente da consciência.

É parte de nossa experiência e interpretação do mundo. Vejo a obra monumental de Newton como uma… criação mental, um sistema de mundo concebido humanamente, incorporando consistência e ordem causal, que satisfaz a mente humana e a ajuda a aplacar o medo de um universo caótico. Seu trabalho é tanto uma obra de arte como uma obra de ciência. Protestar que a concepção de Newton é validada por inúmeras observações do universo físico não é argumento, pois minha ideia é que a concepção ou teoria e as quantidades são criadas paralelamente para a corroboração mútua (não necessariamente sem conflito e não necessariamente consciente). Além disso, as próprias quantidades se baseiam em uma definição e procedimentos de medida, que são fundamentalmente subjectivos".
Roger Jones

"No conceito moderno da física (...) não existe a possibilidade de uma existência desligada, autónoma".
Alfred North Whitehead

"O homem moderno tem utilizado a relação de causa e efeito do mesmo modo como o homem da antiguidade usava os deuses, isto é, para ordenar o universo. Isto não ocorria apenas porque se tratava do sistema mais verdadeiro, mas porque era o mais conveniente".
Henri Poincaré

"O homem dispõe a si mesmo e constrói essa disposição com o mundo".
Sir Arthur Eddington

"A razão pela qual o nosso ser pensante, perceptivo e consciente não se encontra em nenhum lugar, na imagem que temos do mundo, pode ser facilmente explicada em sete palavras: ele PRÓPRIO é a imagem do mundo. Ele é idêntico ao todo e, portanto, não pode estar contido nele".
Erwin Schröndiger

"O ser humano vivência a si mesmo, seus pensamentos, como algo separado do resto do universo - numa espécie de ilusão de óptica de sua consciência. E essa ilusão é um tipo de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afecto apenas pelas pessoas mais próximas. Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza. Ninguém conseguirá atingir completamente este objectivo, mas lutar pela sua realização já é por si só parte de nossa libertação e o alicerce de nossa segurança interior".
Albert Einstein


Perante isto que pensar e que dizer sobre:
- O que nós somos?
- O que é para nós real ou irreal?
- O que é a Ciência afinal? Espantoso! Não é?



Fiquem bem.

(A Mónada)

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

A Sabedoria que já Vive em nós

Nenhum destes pontos é uma aspiração espiritual; são factos da vida quotidiana, ao nível das suas células.

1- Objectivo mais elevado: Cada célula do seu corpo aceita trabalhar para o bem-estar do todo; o seu bem-estar individual surge em segundo lugar. Se necessário, morre para proteger o corpo, e muitas vezes assim é - o tempo de vida de qualquer célula é uma fracção do nosso próprio tempo de vida. As células da pele morrem aos milhares, a cada hora, o mesmo acontecendo com as células imunitárias que combatem os micróbios invasores. O egoísmo não constitui uma opção, mesmo que se trate da própria sobrevivência de uma célula.


2- Comunhão: Uma célula mantém-se em contacto com to­das as outras células. As moléculas mensageiras acorrem a toda a parte para comunicar aos recantos mais afastados do corpo qualquer desejo ou intenção, por mais ténue que seja. Retrair-se e recusar-se a comunicar não constituem opções.


3- Consciência: As células adaptam-se, momento a momento. Mantém-se flexíveis para poderem responder a situações imediatas. Ficar preso a hábitos rígidos não constitui uma opção.

4- Aceitação: As células reconhecem-se umas as outras como igualmente importantes. Cada função do corpo esta interdependente de todas as outras.
Desempenhá-la sozinho não constitui opção.


5- Criatividade: Embora cada célula tenha um conjunto de funções únicas (as células do fígado, por exemplo, podem desempenha­r cinquenta tarefas diferentes), estas conjugam-se de formas criativas. Uma pessoa pode digerir alimentos que nunca comeu antes, ter pensamentos que nunca lhe ocorreram, dançar de uma forma que nunca antes se viu. Agarrar-se a um velho comportamento não constitui opção.

6- Ser: As células obedecem ao ciclo universal de repouso e acti­vidade. Embora este ciclo se expresse de muitas formas, como as flutuações dos níveis hormonais, da pressão arterial e dos ritmos digestivos, a expressão mais óbvia é o sono. Por que razão pre­cisamos de dormir continua a ser um mistério para a medicina e, no entanto, surge a disfunção total se não gozarmos dos seus benefícios. No silêncio da inactividade, o futuro do corpo está em incubação.
Ser obsessivamente activo ou agressivo não constitui uma opção.


7- Eficiência: As células funcionam com o mínimo gasto possível de energia. Por norma, uma célula armazena apenas três se­gundos de alimento e oxigénio dentro da sua membrana celular. Confia plenamente em que tomarão conta dela.
Um consumo excessivo de alimentos, ar ou agua não constitui uma opção.

8- Ligação: Devido à sua herança genética comum, as células sabem que são fundamentalmente iguais. O facto de as células do fígado serem diferentes das do coração, e de as células mus­culares serem diferentes das cerebrais, não nega a sua identidade comum e esta e imutável. Em laborat6rio, uma célula muscular pode ser transformada geneticamente numa célula cardíaca recorrendo à sua fonte comum. As células saudáveis permanecem ligadas à sua fonte independentemente do número de vezes que se dividam. Para elas, ser um proscrito não constitui uma opção.

9- Dar: A actividade primária das células é dar, o que mantém a integridade de todas as outras células. Um empenhamento total em dar torna automático o receber - e a outra metade do ciclo natural. O açambarcamento não constitui uma opção.

10- Imortalidade: As células reproduzem-se para transmitirem os seus conhecimentos, experiência e talentos, não escondendo nada dos seus descendentes. É um tipo de imortalidade prática, submetendo-se à morte, no plano físico, mas derrotando-a, no plano não físico. O fosso entre as gerações não constitui uma opção.

Quando olho para tudo o que as minhas células aceitaram, será que não se trata de um pacto espiritual, em todos os sentidos da expressão? A primeira qualidade, procurar um objectivo mais elevado, é a mesma que as qualidades espirituais de renúncia e altruísmo.

Dar é o mesmo que devolver a Deus o que é de Deus. Imortalidade é o mesmo que a crença na vida depois da morte.


Todavia, os rótulos adoptados pela mente não constituem uma preocupação do meu corpo.

Para o meu corpo, estas qualidades são pura e simplesmente o modo como funciona a vida. São o resultado da expressão da inteligência cósmica, ao longo de biliões de anos, como biologia. O mistério da vida foi paciente e cuidadoso no processo de permitir que emergisse todo o seu potencial. Mesmo agora, o acordo tácito que mantém o meu corpo coeso produz a sensação de um segredo porque, segundo todas as aparências, esse acordo não existe.


Mais de duzentos e cinquenta tipos de células desempenham as suas funções diárias: as cinquenta funções que uma célula hepática desempenha são totalmente únicas, não se sobrepondo às funções das células musculares, renais, cardíacas ou cerebrais - todavia, seria ca­tastrófico se uma só dessas funções tivesse comprometida.


O mistério da vida encontrou uma forma de se expressar perfeita­mente através de mim.

Reveja uma vez mais a lista das qualidades e preste atenção a tudo o que é referido como "não constituindo uma opção": egoísmo, recusa em comunicar, viver como um proscrito, con­sumo excessivo, actividade obsessiva e agressão.


Se as nossas células não se comportam desta forma, porque o fazemos?


Porque é que a ganância é boa para nós e, no entanto, significa a destruição, ao nível das nossas células, onde a ganância é o erro cometido pelas células cancerosas? Porque permitimos que o consumo excessivo conduza a uma obesidade epidérmica, quando as nossas células medem ao nível da molécula o combustível que consumimos?

Como pessoas, ainda não renunciámos ao comportamento que mataria os nossos corpos num dia. Estamos a trair a nossa sabedoria corporal e, o que é pior, estamos a ignorar o modelo de uma vida perfeita que existe dentro de nós.”

In O livro dos Segredos, Deepak Chopra, 2005


Pensem como seria se fossemos assim na sociedade, nas nossas organizações e até na nossa família...


Fiquem bem.


(A Mónada)

quarta-feira, 29 de novembro de 2006

Bocejar...

Um acontecimento interno súbito, que estica os músculos de dentro para fora, o bocejar é uma forma revigorante de exercício para pessoas que são natural, e imperdoavelmente, preguiçosas. Como programa de fitness, é, de facto, bastante eficiente.

Ao princípio sentimos o bocejar como um minúsculo vórtice de baixa pressão algures no meio da cabeça. Logo se espalha por todo o corpo num movimento em espiral, como um remoinho: dilata a sua faringe, laringe, narinas e canais brônquicos; erguem-se as sobrancelhas e os ombros; o diafragma baixa, para permitir que os seus pulmões expandam; obrigam o coração a correr e aumenta o fluxo de sangue ao cérebro. Depois, numa reviravolta dramática, regressa à sua cabeça, onde consegue que a sua língua se recolha e força as mandíbulas a moverem-se para os lados e para baixo.

Tudo isto acontece em menos de seis segundos. Quando acaba, sente-se um pouco abananado, tavez, mas muito mais maleável.

É crença comum que o bocejar é a resposta do nosso corpo a um excesso de dióxido de carbono no sangue. Quando bocejamos, libertamos uma onde de oxigénio para o cérebro. Mas alguns neurologias discordam. Sujeitos a quem foram administradas baforadas de oxigénio continuam a bocejar.

A propósito já bocejou hoje?

Um reflexo misterioso, o bocejar parece estar ligado à saúde: pessoas que estão gravemente doentes, ou com psicoses agudas, raramente sentem necessidade de escancarar o rosto desta maneira.

O bocejar liberta um funil de energia, que viaja pelo seu corpo, desentupindo túneis parcialmente bloqueados – os canais auditivos, as passagens lacrimo-nasais e os canais linfáticos, assim como ventiladores maiores, como a traqueia e os pulmões. Pode sentir os ouvidos a estalar à medida que a pressão nivela entre este labirinto interno e o mundo exterior.

Bocejar é de tal maneira agradável que é contagioso – outro enigma científico. Poucas pessoas conseguem resistir à visão de alguém a deixar cair o queixo sem se sentirem de imediato compelidas a fazer o mesmo. Às vezes a simples menção da palavra bocejar numa conversa é suficiente para lhe dar cócegas no nariz, por os ser olhos a lacrimejar, e fazer o interior da sua boca esticar-se como um elástico.

Uma explicação para este fenómeno poderia ser de que, afinal, estamos todos interligados entre nós. É quase como se a raça humana fosse um enorme sistema de ventilação para as almas.

Bocejar em público não é aconselhável. De repente pode assim dar início a uma reacção em cadeia de proporções tremendas.

Mas sempre que puder e estiver sozinho boceje. Afinal até faz bem à saúde.
(texto adaptado de autor desconhecido)


Fiquem bem.

(A Mónada)

segunda-feira, 27 de novembro de 2006

Como escapar da escuridão

Escapar da escuridão envolve dois passos: primeiro, o reconheci-mento de que a escuridão não pode ocultar. Este passo, normalmente, acarreta medo. Segundo, o reconhecimento de que não há nada que queiras ocultar ainda que o pudesses fazer. Quando te dispuseres a não esconder nada, não só estarás disposto a entrar em comunhão, como também compreenderás a paz e a alegria.

A santidade nunca pode estar realmente oculta na escuridão, mas podes enganar-te a ti mesmo a esse respeito. Esse mal-entendido faz com que fiques assustado porque, no teu coração, reconheces que é um engano e fazes um grande esforço para estabelecer a sua realidade. O milagre põe a realidade onde ela deve estar. A realidade só pode estar no espírito, e o milagre reconhece somente a verdade. Desta forma dissipa as tuas ilusões sobre ti mesmo e coloca-te em comunhão contigo e com Deus. O milagre participa na Expiação, pondo a mente ao serviço do Espírito Santo. Isso estabelece a função própria da mente e corrige os seus erros, que são apenas faltas de amor. A tua mente pode estar possuída por ilusões, mas o espírito é eternamente livre. Se a mente percebe sem amor, percebe uma concha vazia e não está consciente do espírito interior. Mas a Expiação restitui o espírito ao lugar que lhe é próprio. A mente que serve o espírito é invulnerável.

A escuridão é falta de luz, assim como o pecado é falta de amor. Não tem propriedades exclusivas em si mesma. É um exemplo da crença na «escassez», da qual só o erro pode proceder. A verdade é sempre abundante. Aqueles que percebem e reconhecem que têm tudo, não têm necessidades de qualquer espécie. O propósito da Expiação é restituir-te tudo, ou melhor, restituir tudo à tua consciência. Tudo te foi dado quando foste criado, assim como a todos.

O vazio engendrado pelo medo tem de ser substituído pelo perdão. É isso que a Bíblia quer dizer com «Não existe morte» e é por isso que pude demonstrar que a morte não existe. Eu vim para cumprir a lei, reinterpretando-a. A lei em si mesma, se compreendida de forma adequada, só oferece protecção. Aqueles que ainda não mudaram as suas mentes é que puseram nela o conceito de «fogo do Inferno». Asseguro-te que darei testemunho de qualquer um que mo permitir e em qualquer medida que mo permitir. O teu testemunho demonstra a tua crença e, assim, fortalece-a. Aqueles que testemunham por mim estão a expressar, através dos seus milagres, que abandonaram a crença na privação em favor da abundância que, como aprenderam, lhes pertence.


Um Curso em Milagres
Texto - Capítulo 1
IV. Como escapar da escuridão


Numa iniciativa conjunta os seguintes blogues possuem todos o mesmo post colocado a 27 de Novembro:
(por razões técnicas só fará a sua publicação mais tarde)

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

Meditação

Quantas vezes te encontras com teus amigos?
E nunca te encontras contigo mesmo?

Não com o teu ego externo;
sim com o teu Eu interno...
O encontro com o teu centro resolveria
os problemas das tuas periferias.
O encontro com tua alma resolveria
os problemas da tua mente e do teu corpo.

Marca, a cada manhã cedo, um encontro com tua alma.
Longe de todos os ruídos da tua mente e do teu corpo.

Isola-te em profundo silêncio e solidão.
Esvazia-te de tudo que tens;
e serás plenificado pelo que és.
Faz do teu ego uma total vacuidade;
e serás plenificado pelo Eu divino.

Onde há uma vacuidade acontece uma plenitude;
é esta a maravilhosa matemática do Universo.


Entra, a cada manhã, num grande silêncio;
num silêncio pleniconsciente.

No silêncio da presença.
No silêncio da plenitude.

Abre os teus canais rumo à fonte cósmica;
e as águas vivas do Universo
fluirão através de teus canais.

E nunca mais te sentirás frustrado, angustiado, infeliz.

Esse encontro com o teu centro de energia beneficiará
todas as periferias da tua vida diária.


Até os trabalhos mais prosaicos te parecerão poéticos.
E as pessoas antipáticas te serão simpáticas.


Nenhuma injustiça te fará injusto.
Nenhuma maldade te fará mau.
Nenhuma ingratidão te fará ingrato.
Nenhuma amargura te fará amargo.
Nenhuma ofensa te fará ofensor nem ofendido.

E estenderás o arco-íris da paz
sobre todos os dilúvios das tuas lágrimas.
Se te encontrares contigo mesmo...

Isola-te, numa hora de profundo silêncio e solidão.

Mais tarde, serás capaz de estar a sós contigo
em plena sociedade, no meio da tua atividade profissional.


E então terás resolvido definitivamente
o problema da tua vida terrestre.

O mundo de Deus não te afastará mais
do Deus do mundo.


(De Alma para Alma de: Huberto Rohden)



Fiquem bem


(A Mónada)

quarta-feira, 15 de novembro de 2006

A gratidão

A gratidão perante o mistério da vida é algo arrebatador... transcendente até! Faz-nos permanecer conectados com o Divino.

O simples reconhecimento de se viver em cada momento, o estar vivo e desperto, é algo que só por si extraordinário - é um milagre único no Universo.



O nosso milagre!


Reconheçam que ser parte de uma espécie de vida inteligente no planeta Terra, algures na imensidão do Universo, onde só por si o aparecimento de vida já seria um fenómenos altamente improvável, então o facto de sermos nós, a estarmos aqui e agora, a experienciar a vida tal como ela se nos apresenta, é um verdadeiro milagre.


Assim, deixo-vos hoje com uma pequena oração de agradecimento, de que gosto muito, para ser dita e sentida ao deitar, para reflectir a nossa gratidão por estar vivo e por ter vivido mais um dia que passou.

Oração da Noite
(autor desconhecido)

Mais outro dia findou
Eu venho te ver para conversar
Mais uma noite chegou
Eu venho agradecer, antes de repousar.

Andei o dia inteiro procurando meu irmão
Eu quis ser instrumento do teu amor
Do teu perdão.

Muito obrigado Senhor
Pelo amor que ensinei
Pelo amor que eu recebi


Muito obrigado Senhor
Pela dor que suavizei
Por sorrisos que sorri.

Sou peregrino do amor
E venho agradecer o dia que vivi
Houve tristezas Senhor
Mas eu não quis sofrer
Pois caminhei em ti.




Fiquem bem.



(A Mónada)

sábado, 11 de novembro de 2006

Amor

A necessidade de segurança nas relações gera inevitavelmente o sofrimento e o medo. Essa busca de segurança atrai a insegurança. Já encontrastes alguma vez segurança em alguma de vossas relações? Já?

A maioria de nós quer a segurança no amar e no ser amado, mas existirá amor quando cada um está à procura da própria segurança, como seu próprio caminho? Nós não somos amados porque não sabemos amar.

Que é o amor? Esta palavra está tão carregada e corrompida, que quase não tenho vontade de empregá-la. Todo a gente fala de amor - todas as revistas e jornais… Amo a minha pátria, amo o meu rei, amo um certo livro, amo aquela montanha, amo o prazer, amo minha esposa, amo a Deus.

O amor é uma ideia?...

Quando dizeis que amais a Deus, que significa isso? Significa que amais uma projecção de vossa própria imaginação, uma projecção de vós mesmo, revestida de certas formas de respeitabilidade, conforme o que pensais ser nobre e sagrado; o dizer "Amo a Deus" é puro contra-senso. Quando adorais a Deus, estais adorando a vós mesmo; e isso não é amor…

Em todo o mundo, certos homens chamados "santos" sempre sustentaram que olhar para uma mulher é pecaminoso; dizem que não podemos aproximar-nos de Deus se nos entregamos ao sexo e, por conseguinte, o negam, embora eles próprios se vejam devorados por ele. Mas, negando o sexo, esses homens arrancam os próprios olhos, decepam a própria língua, uma vez que estão negando toda a beleza da Terra. Deixaram famintos os seus corações e a sua mente; são entes humanos "desidratados"; baniram a beleza, porque a beleza está ligada à mulher…

Pode o amor ser dividido em sagrado e profano, humano e divino, ou só há amor? O amor é para um só e não para muitos? Se digo "Amo-te", isso exclui o amor a outro? O amor é pessoal ou impessoal? Moral ou imoral? Familiar ou não familiar? Se amais a humanidade, podeis amar o indivíduo? O amor é sentimento? Emoção? O amor é prazer e desejo? Todas essas perguntas indicam - não é verdade? - que temos ideias a respeito do amor, ideias sobre o que ele deve ou não deve ser, um padrão, um código criado pela cultura em que vivemos…

O amor não é produto do pensamento, que é o passado. O pensamento não pode de modo nenhum cultivar o amor. O amor não se deixa cercar e enredar pelo ciúme; porque o ciúme vem do passado.
O amor é sempre o presente activo. Não é "amarei" ou "amei". Se conheceis o amor, não seguireis ninguém. O amor não obedece. Quando se ama, não há respeito nem desrespeito.

Se não tendes amor - não em pequenas gotas, mas em abundância - se não estais transbordando de amor, o mundo parecerá um desastre. Internamente, sabeis que a unidade humana é a coisa essencial e que o amor constitui o único caminho para ela, mas quem pode ensinar-vos a amar?

Também, não podeis ter o amor se não tendes a beleza. A beleza não é uma certa coisa que vedes - não é uma bela árvore, um belo quadro, um belo edifício ou uma bela mulher - só há beleza quando o vosso coração e a vossa mente sabem o que é o amor. Sem o amor e sem aquele percebimento da beleza, não há virtude, e sabeis muito bem que tudo o que fizerdes - melhorar a sociedade, alimentar os pobres - só criará mais malefício, porque, quando não há amor, só há fealdade e pobreza em vosso coração e vossa mente.

Mas, quando há amor e beleza, tudo o que se faz é correcto, tudo o que se faz é ordem. Se sabeis amar, podeis fazer o que desejardes, porque o amor resolverá todos os outros problemas.

Alcançamos, assim, este ponto: Poderá a mente encontrar o amor sem precisar de disciplina, de pensamento, de coerção, de nenhum livro, instrutor ou guia - encontrá-lo assim como se encontra um belo pôr-do-sol?

O amor é uma coisa nova, fresca, viva. Não tem ontem nem amanhã. Está além da confusão do pensamento. Só a mente inocente sabe o que é o amor, e a mente inocente pode viver no mundo não inocente. Só é possível encontrá-la, essa coisa maravilhosa que o homem sempre buscou sequiosamente por meio de sacrifícios, de adoração, das relações, do sexo, de toda espécie de prazer e de dor, só é possível encontrá-la quando o pensamento, alcançando a compreensão de si próprio, termina naturalmente.

O amor não conhece oposto, não conhece conflito.

Mas, não sabeis como chegar a essa fonte maravilhosa e, assim, que fazeis?

Quando não sabeis o que fazer, nada fazeis, não é verdade?

Nada, absolutamente.

Então, interiormente, estais completamente em silêncio. Compreendeis o que isso significa?
Significa que não estais procurando, nem desejando, nem perseguindo…

Há, então, O AMOR.


Fonte: Krishnamurti

Liberte-se do Passado - Ed. Cultrix -



Um texto adaptado. Sem mais comentário.

Fiquem bem.


(A Mónada)

quarta-feira, 8 de novembro de 2006

Hoje é dia 8:11:8

Hoje é dia 8:11:8 dia do início de um período de maior radiação a incidir sobre a Terra.

Hoje muitos seres humanos serão surpreendidos por uma espécie de conversa interior que brota dentro de vós e não conseguirão localizar muito bem a sua fonte como no caso deste canal, que ainda está longe de estar purificado e límpido, mas que mesmo assim começámos a utilizá-lo desde o início da noite de ontem, após termos accionado as chaves do código de iniciação, para que ele pudesse começar a receber informação na medida em que já começa a estar em modo de recepção.

A energia nele iniciada é a do Arcanjo Miguel e Asthar Sheran, o comandante da frota estelar de resgate de toda a Consciência Divina dispersa no Planeta a que chamam Terra.

Assim, a primeira mensagem que vos queremos enviar é a de que devem continuar a limpeza dos vossos sistemas de ligação para que as nossas mensagens comecem a fluir com maior clareza nos diversos canais já activos. Para tal bastará apenas que façam o “Agora” e cultivem o silêncio da vossa mente.

O silêncio da mente é a chave fundamental para que os que vão desempenhando estas funções de faróis de iluminação da Humanidade.

A segunda mensagem é a de que este maior afluxo de energia, que acontece com a abertura deste portal de 8:11:2006 a 11:11, faz com que a Terra vai permanecer iluminada, com níveis de intensidade superiores a mais de 1000 vezes o normal. Isto significa que se não estiverem atentos aos nossos sinais, uma grande confusão pode começar a gerar-se em vossas mentes. Poderão até pensar que estão enlouquecidos. Por isso é mesmo fundamental o silencio das vossas mentes.

Esta iluminação vem directamente do Foco Central da Galáxia a qual detém suficiente Consciência e Luz que permitirá a todos os Terrenos ganharem uma consciência UNA. Esta consciência é fundamental para a melhoria das condições do Planeta e o retorno a níveis aceitáveis da sustentabilidade de toda a vida biológica.

Sem esta sustentabilidade a voltar a ser restabelecida a Vida no Planeta vai-se tornando insustentável e o resgate terá de começar em breve.

Estamos a avaliar e a analisar a situação e quando tivermos dados mais objectivos divulgaremos por via dos canais activados, mas fiquem atentos aos canais, que sendo especialistas nestas matérias ambientais, vão começar a divulgar resultados de pesquisa conjunta.

Fiquem atentos mas tranquilos e em Paz. Vivam no amor que brota dentro de vós. Sintam-no. Deixem-no extravasar para os outros. Criem a harmonia e a concórdia entre vós.

O Amor de Deus Uno, Sol Central da Consciência Universal é a vossa iluminação porque simplesmente vocês são uma parte Dele em co-criação na vossa fisicalidade.

Vivei sem medo. Sem muito ruído emocional e mental. Sintam que quando fazem o silêncio das vossas mentes a vossa Divina Presença vos enche de AMOR.

Com muito Amor para todos vós.

A. Miguel/A. Sheran

segunda-feira, 6 de novembro de 2006

Que entendeis por “levar uma mensagem”?

"Que entendeis por “levar uma mensagem”? Entendeis repetição de palavras – propaganda? A propaganda, por sua própria natureza, é um meio de condicionar a mente. Qualquer espécie de propaganda – a propaganda comunista, a propaganda religiosa, etc. — visa condicionar a mente.


Se aprenderdes uma “técnica” (como modernamente o chamais), um método, se o decorais e repetis, sereis um bom propagandista; se sois arguto, hábil, eloquente, condicionareis os vossos ouvintes de uma maneira nova, em substituição da antiga; mas isso será ainda condicionamento, ainda que limitado. É esse o nosso problema."...

Leia o resto do texto e comente no Blog:
Difusão da Alma


Excelente texto de:
Krishnamurti
8 de fevereiro de 1953 – Palestra em Bombaim
Do livro: “Autoconhecimento – Base da Sabedoria”



Numa iniciativa conjunta os seguintes blogues possuem todos o mesmo post colocado a 6 de Novembro:
Difusão da Alma
Fuzil Cósmico
Nave Azul
O Cálice
O Novo Homem
Postais da Novalis
Com a Palavra, o Meu Lado Infinito
(por razões técnicas só fará a sua publicação mais tarde)

sábado, 4 de novembro de 2006

Falar... mas de coração


Tenho observado o poder das palavras... sobretudo o poder da palavra falada.
Sinto que estamos tão imbuídos de automatismos no falar que nem damos conta da forma como o fazemos e na maioria das vezes nem do que falamos...

Será que conseguimos discernir as consequências que tal assume em nós e nos outros?

Saibam então que há ainda hoje culturas (a india na América do Norte), diferentes da nossa, que acerditam que as consequências das palavras carregadas de emoções, geram consequências para as próximas sete gerações...

Livra! Dirão alguns...

Pois se for assim temos de passar a dar mais atenção à forma como falamos, à intenção das palavras à forma de pensamento que as originou, à emoção por mais subtil que ela seja em que elas estão imbuídas.

Vejam este texto adaptado de Cristiane Boog:

"O coração é o plexo que representa o encontro da matéria com o espírito. Se fizermos uma análise da forma com fluem as bioenergias nos chacras, começando no chacra da raiz, veremos é no coração que a Kundalini (emanada da matéria) se começa a se espiritualizar. Por outro lado, se começarmos pelo chacra da coroa e formos descendo, é no coração que a energia mais espiritual começa a se corporizar.




Então, quando falamos podemos deixar a energia (palavras, frases) sairem de vários lugares. Da raiva, do medo, da inveja, do ciúme, da crítica, .... ou do amor, da tolerância, da compaixão, do entusiasmo, da alegria.

Creio que existem poucas pessoas que tem a capacidade de transmitir amor através das palavras de uma maneira natural. A maioria de nós precisa respirar, deixando a negatividade se afastar, para desta maneira poder se abrir e deixar o amor fluir.


Sim, falar amorosamente é se abrir. Se abrir para a vida. E falar com amor não significa ser bonzinho, ser capacho, engolir sapos.


É fantástico quando podemos simplesmente dizer as coisas, de uma maneira conectada, com dignidade, com presença de espírito.


Sem agredir o outro, sem desdenhar o mundo, sem medo. Então, cabe a cada um de nós resolver a própria agressividade, a própria inveja, o ciúme etc.... Mergulhar dentro de si, transformar a densidade em Luz e oferecer para o mundo um ser humano mais interessante..."


Eu sei que não é fácil...


Mas só em ganhar consciência disso já parte da solução. Agora é irmos experimentando... testando... vivenciando a ternura do nosso coração.


Fiquem bem.


(A Mónada)

sexta-feira, 3 de novembro de 2006

Expensive Soul - Brilho

Um destes dias ouvi com mais atenção o texto desta música, deste Grupo Português, e resolvi trazer este video clip para a Nave e dar-lhe o espaço completo de um post.

É muito interessante o texto.

Ora escutem também com atenção e vejam como o Brilho e a Luz vos vão começando a encher o coração.

E que tal fazer como eles aqui referem todos os dias das nossas vidas...


(Não se esqueçam de desligar a música do Blog antes de verem este videoclip)

Fiquem bem.

(A Mónada)

P.S.: Este vídeo clip neste post é especialmente dedicado à Nono que me inspirou e me revelou, como uma arte de dança e ritmo (hip-hop), tem ajudado muitos jovens, em todo o mundo, a transmutar a vibração da violência pela do amor.

"yeah!"

terça-feira, 31 de outubro de 2006

"Amar de Olhos Abertos"


Depois de ler o livro de Jorge Bucay e de Silvia Salinas: “Amar de Olhos Abertos” escrevi o seguinte texto nos comentários do BookCrossing:

Foi uma leitura impulsiva, compulsiva também, do que se vai sabendo em cada página.

São muitas as ideias que ficam, muitos os temas de reflexão.

É grande a aprendizagem, o que me agrada, quando leio um livro.

"Tu, que sentias que amavas demasiado e te julgavas tão generosa, dá-te conta de que lhe dás somente o que tu lhe queres dar, de que não te preocupas em saber do que é que ele precisa, de que só dás pela tua necessidade de dar e não pelo bem que lhe poderá fazer a ele o que lhe estás a dar."

O livro trata, romanceando, da terapia de casais. Nessa terapia tem a abordagem de nos levar a reflectir, cada vez que imputamos um erro ao outro, que analisemos o que se passa connosco, que procuremos saber o que nos está a acontecer, o que precisamos ou o que sentimos.

É assim, uma abordagem diferente...

"É muito vulgar perguntar a uma pessoa numa sessão de casais:
- O que se passa consigo?
E ela responder:
- O que se passa comigo é que ele não entende...
E eu insisto:
- O que é que lhe está a acontecer a si?
E ela volta a responder:
- O que me acontece é que ele é muito agressivo!
E eu continuo até ao cansaço:
- Mas o que é que você sente? O que é que acontece consigo?
E é muito dificil que a pessoa fale daquilo que lhe está a acontecer, daquilo de que precisa ou do que sente. Todos querem sempre falar do outro."


Até parece que os autores tinham estado a espreitar o que se tinha passado comigo no dia anterior.

Afinal, que se passa comigo? Que preciso? que sinto?

É essa a minha reflexão.

Rosário

domingo, 29 de outubro de 2006

O "Não"...

Há bem pouco tempo li num post sobre o "Não"... o ter de se dizer NÃO... O momento do "Não" e o que ele significa para nós e para os outros...

Fiquei depois a pensar nos que têm que decidir, nos que têm que escolher e considero que saber dizer não é melhor do que dizer o "Sim. Mas...".

Saber dizer: NÃO, corresponde antes de mais, a ser necessário assumir a escolha no nosso interior e expressá-la com amor de quem escolhe o seu caminho.

Esse "NÃO" será assim um momento de compaixão porque isto pode significar dar espaço e liberdade ao outro de poder seguir as suas escolhas também. Este "Não", não será negativo... e se reafirmado com determinação e amor, pode até ser uma afirmação positiva.


É o que sentimos, a intenção que colocamos e a forma como o fazemos é que conta.

Agora relatavo-vos algo que se passou comigo:

Num acção de formação que frequentei sobre liderança e tomada de decisão, foi colocado aos participantes um exercício em que era necessário tomar uma decisão. A decisão era difícil mas claramente a resposta certa era o "Não"...

Fiquei espantado com o facto de cerca de 70% dos participantes terem optado pelo "Sim. Mas..." ao que normalmente corresponde, em termos gerais, a adiar a decisão... ou no mínimo a suscitar que a decisão até poderia ser sim se fosse cumprida determinada condição.

Feito um segundo exercício em que nos tinhamos de colocar no papel do que iria ser o receptor da decisão. Foi colocada a questão: Qual seria a preferência? As escolhas recariam em mais de 90%, ou no sim ou no não... Espantoso!!! Quase ninguém gosta de ouvir um "Sim. Mas...". Mas a maioria dos participantes preferia fazê-lo, no momento em que tem de fazer a sua escolha e transmiti-la.

Por piada, esta sessão leccionada por uma formadora Inglesa, extremamente dinâmica e motivadora, ficou durante bastante tempo conhecida pela expressão: "Please! Don't But me!"...

Vejam agora o que sobre isto nos diz o Eckhart Tolle e a forma de como podemos transformar os nossos estados do "Não" em estado positivos transmutados pela nossa Presença, mesmo que a nossa decisão seja o "Não"...

(lembrem-se de desligar a musica do blog primeiro)


Sigam agora este link: http://www.youtube.com/watch?v=t8kA4eu_r88

Fiquem bem.


(A Mónada)

sábado, 28 de outubro de 2006

O Vídeo do Blog

No novo vídeo do Blog poderão descansar a vossa alma durante cerca de 5 minutos... (não se esqueçam de desligar o som do blog primeiro)

Realizado por um grupo de personalidades que eu gosto muito como são: Deepak Chopra, Madonna, Francis Ford Coppola's Koyaanisquatsi, e com 3 Poemas de Rumi.

São este 3 Poemas de Rumi que vos deixo aqui transcritos...
  • My Burning Heart

    My heart is burning with love
    All can see this flame
    My heart is pulsing with passion
    like waves on an ocean

    my friends have become strangers
    and I’m surrounded by enemies
    But I’m free as the wind
    no longer hurt by those who reproach me

    I’m at home wherever I am
    And in the room of lovers
    I can see with closed eyes
    the beauty that dances

    Behind the veils
    intoxicated with love
    I too dance the rhythm
    of this moving world

    I have lost my senses
    in my world of lovers


  • In my hallucination

    In my hallucination
    I saw my beloved's flower garden
    In my vertigo, in my dizziness
    In my drunken haze
    Whirling and dancing like a spinning wheel

    I saw myself as the source of existence
    I was there in the beginning
    And I was the spirit of love
    Now I am sober
    There is only the hangover
    And the memory of love
    And only the sorrow

    I yearn for happiness
    I ask for help
    I want mercy
    And my love says:

    Look at me and hear me
    Because I am here
    Just for that
    I am your moon and your moonlight too
    I am your flower garden and your water too
    I have come all this way, eager for you
    Without shoes or shawl

    I want you to laugh
    To kill all your worries
    To love you
    To nourish you
    Oh sweet bitterness
    I will soothe you and heal you
    I will bring you roses
    I, too, have been covered with thorns

  • Intoxicated by Love

    Because of your love
    I have lost my sobriety
    I am intoxicated
    by the madness of love

    In this fog
    I have become a stranger to myself
    I'm so drunk
    I've lost the way to my house

    In the garden
    I see only your face
    From trees and blossoms
    I inhale only your fragrance

    Drunk with the ecstasy of love

    I can no longer tell the difference
    betweeen drunkard and drink
    Between lover and Beloved

Fiquem bem.



(A Mónada)

segunda-feira, 23 de outubro de 2006

Não temais


Não temais. O medo nasce apenas onde as sementes das trevas podem ter lugar, e brotar. Um recto viver, uma recta conduta, segundo o que internamente vos é indicado, não deixa espaço para que as forças opressoras do temor cheguem a vos dominar.

Mesmo a parcela atávica do medo que habita os vossos corpos é dissolvida diante da ligação com a essência da Vida. O medo é um estado que nasce do envolvimento com as forças da matéria e suas ilusões. A consciência nos planos interiores é Luz e clareza; nesses níveis, o Amor é a substância plasmadora, e a existência transcende as fronteiras da individualidade. Portanto, o indivíduo nada tem a temer se estiver conectado com a própria essência interior.

A limitação da vida a um âmbito individual traz consigo a ideia de posse, até mesmo da posse dos corpos materiais, e o medo é sempre fruto do assédio das forças diante da ameaça de perder algo a que a consciência imagina estar apegada. Se ela, porém, compartilha do absoluto silêncio, do silêncio dos apegos, da curiosidade, da posse de si mesma e de tudo o mais, o que haverá de temer?

Um ciclo está se abrindo, e a mensagem trazida pelo ressurgimento de Fátima-Lis terá um novo tom. De um ponto de vista supramental, pode-se dizer que está ocorrendo um reencontro da verdadeira função interior de Fátima com a consciência humana. À nossa volta, nos planos materiais, a presença permanente de uma energia de bondade e pureza é um sinal desse processo.




Numa iniciativa conjunta, este texto e a ilustração foram publicados no mesmo dia (23 de Outubro) pelos seguintes blogues:



(Este post não será apagado, podendo ser republicado em várias outras ocasiões.)

Por razões técnicas, o blog "Com a Palavra, o Meu Lado Infinito" só poderá colocar no ar este post dentro de dias.

sexta-feira, 20 de outubro de 2006

A cozinha dos sentidos

A minha amiga Carla pediu-me para divulgar um curso que ela própria irá coordenar... Hmmm! e a mim de repende deu-me uma fominha...

Para mim cozinhar é uma arte e é uma forma de expressar a nossa creatividade, amor e carinho. Por isso... Partilho do que a Carla aqui refere:
"Cozinhar é aprender a desenvolver um sentimento profundo de maravilha e apreciação por toda a vida, e uma mentalidade de quem pode transformar dificuldades em desafios.

Vamos aprender a escolher os alimentos e a cozinhar com amor, cuidado e uma mente pacífica. Vamos fazê-lo praticando.

Estimular a criatividade, desenvolver os diferentes sentidos e promover o intercâmbio de experiências entre os diversos participantes são os objectivos destes encontros. Essa será a nossa aventura em cada instante."



CURSO DE CULINÁRIA DE COMIDA SAUDÁVEL

PERÍODO: De Outubro de 2006 a Junho de 2007

DURAÇÃO: 9 sessões de 5 horas (das 10h00 ás 15h00)


LOCALIZAÇÃO:

Rua Nova de São Mamede, 56 – 4º Dtº em LISBOA
(Perpendicular à Rua da Escola Politécnica – perto do Largo do Rato e antes do Príncipe Real)



Para quem estiver interessado/a os contactos são:


CONTACTOS:
e-mail: dos.sentidos@netcabo.pt
telefones: 964180524 / 919441888



Fiquem bem.

(A Mónada)