terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

A CURA A NÍVEL ESPIRITUAL


Presentemente nas sociedades ditas modernas, a grande maioria das pessoas encontram-se profundamente desligadas da sua fonte espiritual, e é nesta corrida desenfreada em nome de um pseudo desenvolvimento, que através dos tempos se perdeu, o sentido da dimensão espiritual da Vida que faz parte de cada SER.

Assim, cada vez mais nos sentimos desligados da nossa Essência Divina e consequentemente do Espírito Universal, restando-nos a sensação de estarmos vazios, perdidos e sós, perdendo-se assim o verdadeiro significado e o propósito da Vida no Aqui e Agora de cada Um. Ao experienciarmos a dor deste vazio e de uma forma inconsciente, procuramos preenchê-lo de diversas maneiras, mas na maioria das vezes, bem longe da forma mais saudável para nós, e assim, desta forma começa-se a instalar em nós uma falsa necessidade de TER, acreditando que isso preencherá o nosso vazio e que nunca mais nos vamos sentir sós. Partimos então na busca incessante de aumentar os nossos bens materiais, e paralelamente criar relacionamentos que nos façam sentir mais felizes, nem que seja por apenas alguns momentos, e em situações mais graves podemos ainda cair no mundo das dependências, tudo isto, na ilusão de conseguir preencher o nosso vazio Interior.

Algum tempo depois, começamos a perceber que nenhum destes comportamentos mudou a nossa situação para melhorar esse vazio, nem nos sentimos mais felizes, nem mais amados, porque afinal este vazio é profundamente espiritual, e então verificamos que é neste aspecto que temos de mudar os nossos comportamentos, porque é nesta falta de ligação espiritual que se concentra a raíz da maior parte das nossas doenças sociais, culturais e claro dos nossos problemas pessoais. Também os problemas existentes no mundo são reflexo dos nossos problemas pessoais, isto porque a Consciência Colectiva é constituída por indivíduos. Na verdade, todos estes problemas colectivos só podem ser resolvidos, quando nos curarmos a nós próprios, até ao mais profundo do nosso SER.

Um trabalho de Consciência com esta abrangência, é um grande desafio à nossa Força Interior, visto que não é no exterior que vamos encontrar a CURA, pois a verdadeira CURA é a que vem de dentro. A Cura Espiritual dá-se quando encontramos um meio de nos religarmos com a nossa Essência, entando no nosso âmago Amoroso, assim que conseguimos fazer esta religação, começamos a sentir um novo sentido de Unidade com a Natureza e com todos os outros seres de uma forma segura e confiante. Após este contacto com a nossa verdadeira dimensão espiritual, desenvolve-se em nós a capacidade de experienciar uma perspectiva expandida da Vida, de forma individual e também como parte da humanidade.

Assim em vez de permanecermos, mergulhados diariamente, num mar de frustrações enos conflitos da nossa personalidade, passamoa a ver as coisas pela perspectiva da Alma, ou seja, pelo propósito de Vida, nesta passagem pelo planeta Terra, ajudando-nos ainda a analisar os nossos problemas na base de um Propósito Maior, e encontrar o significado profundo de todos eles, o que nos leva ao encontro do nosso propósito de Vida. Desenvolver a Consciência Espiritual, é a base que nos permite acessar aos outros níveis de Cura. Sem este contacto Interior, é muito difícil ou quase impossível, encontrar forças para enfrentar as dificuldades e os desafios para Curar outros níveis.

A Cura Espiritual não acontece da mesma forma para todas as pessoas, para uns pode dar-se de uma forma rápida, para outros pode prolongar-se por vários anos. O despertar espiritual, acontece na maioria das vezes, num momento de grande crise física ou emocional, mas também é algo que pode ser cultivado ao longo dos anos através da meditação e da oração. Qual será então a melhor forma de alcançar a Cura a este nível? A melhor forma será sem dúvida aquela que nutre a nossa ALMA. Ora, na maioria das culturas, é dado uma grande importância ao acto de FAZER, mas presentemente já conseguimos compreender que o acto de SER é de extrema importância para o nosso verdadeiro desenvolvimento Interior porque já nos reconhecemos e aceitamos como seres divinos pertencentes ao Mundo espiritual.

O tempo de SER, permite-nos descansar, e libertar de tudo o que nos oprime, desviarmo-nos do mundo exterior e virarmo-nos para o nosso mundo Interior, ao encontro de NÓS. A capacidade de estar em sossego por algum tempo, é a porta para a nossa dimensão mais profunda. È necessário e urgente entrarmos no plano de SER para nos ligarmos profundamente à Fonte. Trazemos a Cura Espiritual às nossas Vidas quando encontramos o modo de fazer este contacto Interno de forma regular. Significa pois, desenvolver uma prática espiritual, que funcione para cada um, escutando sempre a vontade expressa pelo CORAÇÃO, e depois tomar o compromisso de a exercer com regularidade.

CONCLUSÃO DESTE NÍVEL DE CURA NO PRÓXIMO POST.

Fiquem na minha Paz

EU SOU A VOZ DO CORAÇÃO

EU SOU

MARLIZ

1 comentário:

António Rosa disse...

Caro/a colega bloguista:

Esta é uma nota comum para vários blogues.

O site do Congresso Ibérico de Astrologia vai ter uma página com uma listagem de blogues devidamente lincados, se estes apoiarem o congresso, colocando, ainda em Fevereiro, no seu blogue um dos banners que existem na barra direita do site do Congresso:

Clique aqui para aceder ao site do Congresso

Caso já tenha o banner de apoio, ou esteja interessado/a em colaborar com o Congresso, divulgando-o junto dos seus leitores, após colocar o banner no seu blogue devidamente destacado, peço o favor de confirmar deixando um comentário no meu blogue «Cova do Urso», no post «O Maior Evento de Astrologia em Portugal». Para facilitar a sua vida, deixo a seguir o linque desse post:

Clique aqui para confirmar a sua adesão.

Estou a usar esta forma de comunicação [a vossa confirmação no meu próprio blogue] para este assunto ser completamente transparente e estar disponível ao público em geral.

A organização do Congresso tem conhecimento desta iniciativa.

Como compreenderá, este apoio público não dá direito a nenhuma entrada gratuita no Congresso. :)

Muito agradecido.

Abraço

António Rosa