sexta-feira, 16 de março de 2012

Clarividência


"Quando se pede a um médium que se projecte em regiões muito elevadas do mundo invisível para responder a questões de ordem espiritual, na maior parte das situações ele não é capaz: a sua clarividência limita-se sempre mais ou menos às regiões do plano astral. Pois bem, esta clarividência que não pode servir para a elevação do ser humano não tem qualquer interesse para os Iniciados. Por isso eles não se detêm nela e até atravessam essas regiões do astral com os olhos fechados.

Um verdadeiro Iniciado não procura desenvolver faculdades mediúnicas. Ele trabalha unicamente para se purificar, para aumentar a sua sabedoria, o seu amor e o seu autodomínio, a fim de poder projectar-se o mais alto possível dentro de si mesmo.

Quando ele atingiu esse cume, a matéria do seu ser está tão depurada que se impregna da própria quinta-essência da Alma Universal. Esta quinta-essência na qual tudo se regista dá-lhe a possibilidade de ver e de sentir o que ele deseja conhecer. É assim, graças a este trabalho, que ele adquire não só o poder, mas também a clarividência."

Este texto de Omraam Mikhaël Aïvanhov revela-nos a verdadeira noção de clarividência que muitos julgam ser mediunidade e na verdade um médium é um ser dotado da capacidade de comunicar com os outros planos de existência e que não tem só a vidência como meio ou instrumento para tal.

Um médium é por muitos visto como um ser que se comunica e até incorpora as pessoas espírito que já desencarnaram e que muitas vezes se mantêm no astral, como muito bem Aïvanhov nos refere, isto afastando a imensa charlatanice que existe em torno deste negócio que fundamentalmente explora a saudade dos que ficam relativamente aqueles que já estão em outros planos.

No entanto, um médium é muito mais do que isto… na realidade todos nós temos a capacidade de ser médiuns, isto se nos dedicarmos à nossa própria evolução espiritual. De facto todas as almas têm na sua essência a mesma Energia Consciencial e neste domínio todas elas comunicam entre si pois fazem parte da mesma Unidade. Por isso se diz que no silêncio da mente e no sentir de toda a emoção que se origina na intuição, não só ouvimos a nossa alma, como todas as outras e também a palavra e o AMOR de Deus.

Ora um médium por definição é um ser que se predispõe a ser um meio de comunicação entre os diversos planos de existência e dedicando-se particularmente a acalmar e a pacificar as saudades e a “tratar” dos apegos existentes entre seres que estão em vários planos, “a sua clarividência limita-se quase sempre às regiões do plano astral” como nos refere Aïvanhov. Isto não significa que este médium seja “melhor” ou “pior” de qualquer um de nós… ele abraçou um trabalho de ajuda às almas para quebrar este apegos… mas não contribui directamente para a elevação espiritual de ninguém nem mesmo de si mesmo.

Por isso, tendo isto em consideração, qualquer pessoa que se inicie no caminho do auto-conhecimento e na expansão da sua consciência, poderá atravessar com facilidade esta camada do astral, atingindo níveis vibracionais superiores, onde poderão contactar com os Mestres Ascensos e com todas as entidades que verdadeiramente poderão contribuir para a sua Ascensão, sempre através da ligação prévia à sua alma.

A clarividência é por isso uma forma de sobreposição da visão natural física com aquela que nos advêm da intuição e quando passamos a dar mais importância a esta última na condução da nossa vivência física, então sim… somos seres dotados de uma grande sabedoria e iluminação.

Vivamos pois nessa luz, nessa quinta-essência, na qual tudo se regista e que nos dará a todos essa verdadeira clarividência.

Fiquem bem

(A Mónada)

3 comentários:

jomacarga disse...

E o que podem fazer aqueles que se encontram cativos de violentas obsessões espirituais? (do astral, bem entendido). Isso porque de algum modo existe uma base mediunista [Há até quem não distinga obsidiado de médium: "o obsidiado é um médium...."].
Mas enfim, que fazer? Afinal essas entidades obsessoras estão lá porque não são evoluidas nem querem largar os que foram escravizados, para também não evoluirem. Situação das piores que conheço.

jomacarga disse...

E o que podem fazer aqueles que se encontram cativos de violentas obsessões espirituais? (do astral, bem entendido). Isso porque de algum modo existe uma base mediunista [Há até quem não distinga obsidiado de médium: "o obsidiado é um médium...."].
Mas enfim, que fazer? Afinal essas entidades obsessoras estão lá porque não são evoluidas nem querem largar os que foram escravizados, para também não evoluirem. Situação das piores que conheço.

A Mónada disse...

É bem verdade jomacarga.

Que a paz do AMOR de Deus permaneça contigo.

Fica bem...