sábado, 27 de janeiro de 2007

A Águia que se julgava galinha

Finalizando a série de 3 post sobre o Guião de Vida, aquilo que queremos ser e o propósito da nossa Vida... Ora leiam esta história:


"Um homem encontrou um ovo de águia. Levou-o e colocou-o no ninho de uma galinha, no galinheiro.

A águia foi incubada e cresceu com a ninhada de pintos.

Durante toda a sua vida, a águia fez o mesmo que faziam os frangos, pensando que era um frango. Escavava a terra em busca de minhocas e de insectos, piava e cacarejava. Inclusive, sacudia as asas e voava alguns metros no ar, como os frangos.


Afinal de contas, não é assim que voam os frangos?


Passaram os anos e a águia envelheceu. Um dia viu muito acima da sua cabeça, no límpido céu, uma magnífica ave que flutuava elegante e majesosamente por entre as correntes de ar, movendo ligeiramente as suas poderosas asas douradas.


A velha águia olhava assombrada para cima.


- O que é aquilo? - perguntou a uma galinha que estava junto a ela.
- É uma águia, a rainha das aves - respondeu a galinha - Mas não penses nela. Tu e eu somos diferentes.



E assim fez. A águia não voltou a pensar no assunto. E morreu a acreditar que era uma galinha de galinheiro"


de Anthony de Mello


De facto existe um grande medo de cair, do choque, da dor e não se enxerga que a verdadeira protecção está nas alturas.


Especialmente quando há fome de elevação... e boas asas.


E se o medo aparece ocasionalmente, não te preocupes: se na verdade estás no teu caminho, o fim, o objectivo final justificará todos "medos".


Agora não percas mais tempo!

Voa... voem... Voem... VOEM!!!



Fiquem bem.


(A Mónada)

2 comentários:

Om-Lumen disse...

Porque voar é uma das nossas condições nós voamos na Grande Viagem do Espírito... em potência de amor nos elevamos...

OM-Lumen

A Mónada disse...

Assim seja sempre.

Fica bem.