terça-feira, 5 de agosto de 2008

Portal 8:8:8 - Os presentes de INANA...

Inana oferece-nos três novos presentes neste período; três novas ferramentas de crescimento espirituais, simples, próximas e sem complicações, mas poderosas e que tenho a certeza que serão muito úteis na pratica espiritual. Portanto, peço-vos que as utilizem e se aprofundem nelas porque serão a base prática da Cerimónia de Abertura do Portal de Orion.


1º: O 8º CHAKRA - ESTRELA DA ALMA

Com a forte irrupção da energia AM-Inana tem-se propiciado a activação do 8º Chakra do ser humano, o também chamado Estrela da Alma.
Trata-se duma pre-activação geral do Chakra. Deste esta pré-activação, qualquer trabalhador da Luz pode conscientemente activar o seu próprio Chakra individual e utilizá-lo como ferramenta para muitos trabalhos espirituais duma maneira simples e efectiva. A Estrela da Alma está situada a um palmo do alto da cabeça e tem forma de estrela de 24 pontas. A sua cor é prateada brilhante e, uma vez activado, tem um diâmetro de uns 14 cm. Esta estrela está virada na direcção do nosso olhar. Ter este Chakra activado é como ter uma linha de contacto directo com a energia Inana e com a energia da harmonia de Vénus. É como ter uma sucursal de Inana na nossa cabeça e no nosso campo energético.

Para activar este Chakra basta visualizá-lo no seu lugar, na sua forma, tamanho e cor, até que a visualização fique fixa. Uma vez activado pode usa-lo para muitas coisas: para limpar a nossa estrutura energética de energias astrais de baixa vibração, formas de pensamento, etc.; como método de protecção energética geral; como forma de equilíbrio energético de chakras e de harmonização do nosso campo energético interno e externo. Para o efeito, uma vez activado o chakra, basta visualizar que dele cai uma espécie de chuva ou ralador de filamentos prateados muito finos, como arames muito, muito finos sobre todo o nosso campo energético e o nosso corpo. Este mesmo campo metálico-energético, mantido com firmeza mediante a visualização, serve para todos os propósitos descritos anteriormente: protecção, limpeza, equilíbrio e harmonização. É particularmente eficaz realizar este exercício antes de se deitar para dormir.


2º : A RESPIRAÇÃO DA PAZ

Trata-se de uma pequena modificação da chamada Respiração Maia para a Ascensão que aumenta aos benefícios espirituais desta, uma súplica energética e poderosa a favor da Paz, uma petição de Paz aos céus em chave respiratória que é a mais potente porque no seu próprio desempenho maneja o espírito (prana, éter, chi, ki, etc, ou como lhe queiram chamar).
Esta respiração realiza-se exclusivamente pela boca, tanto através da inalação como da expiração (vem das tradições dos antigos americanos e é radicalmente distinta neste aspecto aos métodos orientais. Inspira-se o ar pela boca,lenta e profundamente, dirigindo o ar à parte baixa dos pulmões (como se quizesse colocar o ar no ventre) mediante a ajuda do diafragma, de uma maneira natural, sem chegar a forçar a inalação. Seguidamente inicia-se a expiraçãotambém lenta e profunda até esvaziar os pulmões, de uma maneira natural, sem forçar. Para evitar a dispersão da mente e concentrá-la na respiração, é muito aconselhável fazer ruído ao respirar, como murmurando, assim:….aaaaaaahhhh…/….aaaaaaahhhh//. Se o ar absorvido é fresco, pode interpor a língua no trajecto do ar na boca para temperá-lo e que não esfrie a garganta. Até aqui o método Maia da respiração para a Ascensão.
A adição que o Inana nos tem ensinado é a seguinte: no inicio da inalação, juntar os lábios e emitir o som labial da letra “P” seguido pelo murmúrio respiratório de inalação em forma da vogal “A” e ao terminar a inalação aproximam-se os dentes e junta-se a eles a língua emitindo o som “Z”. Assim, durante a inalação estaremos conscientemente emitindo a palavra PAZ com o ar inalado.

Na expiração faremos o mesmo juntando os lábios no início e emitindo o som da letra “P”, logo expirando o ar e emitindo em forma de murmúrio a vogal “A” e terminar juntando a língua e dentes para emitir outra vez o som “Z”. Assim, também durante a expiração estaremos conscientemente emitindo a palavra PAZ com o ar exalado.
O som PAZ na inalação leva-nos a um estado de PAZ INTERIOR absoluto e profundo em poucas inalações. O som PAZ na expiração irradia ao mundo nossa PAZ recuperada envolvida no Amor que tenhamos acumulado no nosso coração durante o exercício meditativo respiratório, leva este decreto de PAZ aos circuitos da grelha energética da Terra e o insufla nos campos morfogenéticos. Pratiquem este método de elevar a Paz no planeta. É tão simples como poderoso.


3º: OBRA MUSICAL ACTIVADA E SACRALIZADA

Foi precisamente no Mosteiro de Valvanera, em Rioja, Espanha, em 9 de Março deste ano, onde todo o nosso o grupo de trabalho espiritual (não tem nome) recebeu um comunicado de Inana com esta nova ferramenta. Iamos ali a fazer um trabalho interno e de activação da zona. O Mosteiro de Valvanera é um mosteiro medieval onde se venera a Virgem de Valvanera, patroa de La Rioja (virgem encontrada no interior de um roble na Idade Média, com a sua lenda incluída), e é um lugar onde habitualmente aconteciam milagres durante esse período. As fontes históricas referem que os montes e o vale onde se encontra este mosteiro foram também lugar de habitação de eremitas e anacoretas desde tempos paleo-cristãos. Até aqui, não tem nada a ver com Vénus, Inana, etc.

A comunicação que recebemos em meditação colectiva foi que Inana e os Mestres estão a sacralizar músicas existentes; ou seja, estão a activar obras musicais conhecidas de maneira a que sua escuta consciente abra os nossos corações e os nossos chakras superiores e eleve a nossa frequência. É uma forma de facilitar com métodos simples, baratos e alcançáveis por todos, os procedimentos de avanço e ascensão espiritual. Ainda foi-nos comunicado que a primeira destas obras musicais activadas é a “Sinfonia do Novo Mundo”, Sinfonia Nº 9 de Anton Dvorak, que muitíssima gente conhece. Basta escutá-la em estado meditativo e consciente para notar os seus efeitos internos espirituais os quais aumentam notoriamente quando escutada em volume muito alto. (extranho, não te parece? Mas funciona).
Depois desta surpresa indagamos sobre este lugar de Valvanera e soubemos que: Valvanera é a castelhanização do vocábulo latino “Val Venere”, que significa Vale de Vénus (venere = venéreas = doenças de Vénus = do amor carnal). Soubemos também que as montanhas que rodeiam a zona, além do seu nome oficial ser “Serra da Demanda”, são também conhecidas como Montanhas de Vénus. Para terminar, há uma semana um amigo comunicou-me que uma pequena capela de estilo neoclássico que vimos na zona, a uns 100 metros do corpo principal do Mosteiro e colado a um espaço oco da montanha, tinha-se erguido sobre os vestígios do que foi na época da dominação romana (está documentado) um templo de Vénus. Soubemos então que o círculo se tinha fechado e que o puzzle estava completo.


Texto retirado do Comunicado nº 6 da Isabel Oliveira - Ventos de Lyz

Não se esqueçam de desligar o som do BLOG e oiçam:

O 2º andamento desta bela Sinfonia de Dvorak, com estas imagens sempre belíssimas do Hubble e cantada na parte final pelo Michael Horncastle do grupo "Libera"...




Depois... em estado meditativo... oiçam o 4º andamento e o mais conhecido desta Sinfonia... Tocado pela orquestra Filarmónica de Berlim e sob a regência de Karajan...




Fiquem bem...


(A Mónada)

2 comentários:

Angelo Ricardo disse...

Muito interessante: eis que ao ler a mensagem, fazendo os exercícios com audição das músicas, além de sentir muita paz o meu coração transbordou em amor como que se fosse uma taça transbordando mesmo.
Encaminhei essa energia a toda a humanidade, num esforço para proporcionar "ressonância mórfica" no sentido de abrir as chácaras de todos seres humanos do planeta terra.
Agora é a hora>Ajuda-nos Archanjo Miguel com sua legião de Anjos defendendo-nos e selando a porta onde encontra-se o mal.

A Mónada disse...

Excelente Angelo,

Mto bem...

Que a energia crística deste portal desça sobre ti e sobre todos... Para que este planeta possa ascender todo na LUZ e no AMOR...

Fica bem