sábado, 19 de agosto de 2006

Dê hoje O Presente a si mesmo.


Ao observar a minha mente dei-me conta um dia destes, de uma “voz” interior que me fala… Por vezes até parece ser mais do que uma…. muitas vezes até entram em diálogo.

É estranho! Se fosse ao médico e lhe dissesse: “Oiço vozes dentro de mim” o mais certo seria que ele me remetesse para uma consulta de psiquiatria. Será? Serei o único? Estarei doente?

Observe agora durante alguns minutos a sua mente… não me diga que também notou que os seus pensamentos assumem muitas vezes a forma de diálogos internos. Se reparar, essa “voz” comenta, critica, especula, compara, não gosta, gosta, queixa-se e por aí fora.

Agora pergunto-lhe também a si. Como se sente? É louco? Essa “voz” é a sua “voz”? É aquilo que é? ou pelo contrário essa “voz” quer fazer crer o que é e não é?

Vejamos, pois é agora que passamos para uma outra dimensão do Ser, a sua presença enquanto observador da sua mente afinal é o quê? Como passou a tratar essa “voz”?...
Aquela “voz”?!?!?!? Afinal já não é a sua?!?!?!? É estranho!!!... E essa presença o que é?

A sua essência é a sua presença, aquela que sente, aquela que intui, aquela que escolhe, aquela que comanda todos os seus corpos. Aquela que observa sem julgar, sem objectar, nem criticar.

A tal “vozinha”, tão mental, que está sempre a transportar-nos do passado para o futuro, mas que perante a nossa presença, tão soberana afinal, nada mais é do que o nosso Ego, ou seja uma mera ilusão do que penso ser mas não sou.
Veja também como por vezes ela nos faz sofrer. Veja como lida com as preocupações por exemplo.

Coloque-se ainda num patamar mais acima. Imagine-se como um observador final, omnipotente e omnipresente. Pergunte-se de novo aos olhos dele quem eu sou?

Veja como a tal “vozinha” se alimenta do passado para tentar levá-lo a viver o futuro antes dele chegar. Afinal o que são as preocupações?

Agora analise a própria palavra... Preocupar-se significa ocupar-se préviamente com algo que irá ocorrer no futuro. Mas o futuro ainda não existe... é uma ilusão.
E relativamente ao passado? Pode alterar alguma coisa? Claro que não!!!!

Então porque é que a tal “voz” anda sempre cá e lá? e porquê que tenho de a escutar?
O Agora, este momento presente, que tão depressa se torna passado, é o único que controla e o único em que tem o verdadeiro poder da escolha.

A sua Presença é a sua essência primordial. Veja como o observador de si mesmo em que se tornou por uns momentos, ficou tão próximo, tão parecido com o Observador FINAL. DEUS.


E que tal dar a si mesmo um Grande Presente hoje, aqui e agora. Viva este momento Presente cheio de AMOR.

Fiquem bem.

(A Mónada)


P.S. – Para todos os que desejarem oferecer a sí próprio o Presente, nada melhor que ler o livro: “O Poder do Agora” de Eckart Tolle, ou se preferirem uma leitura mais ligeira recomendo: "O Presente" de Dr. Spencer Johnson, também autor do best-seller: "Quem Mexeu no Meu Queijo?", editados em Portugal pela Pergaminho.

3 comentários:

Anónimo disse...

Já estou a procurar esses livros.... obrigado por os teres indicado...

rosario

A Mónada disse...

;-)

Anónimo disse...

Jé estou a ler O Poder do Agora. É interessante.... mas vai de certeza, precisar de uma segunda leitura.

O Presente, é que ainda não o tenho, mas continuo a procurá-lo!
rosario