domingo, 11 de março de 2007

A energia do dinheiro

"Ninguém pode pagar pela terapia, porque a cura é de Deus e Ele não pede nada. No entanto, faz parte do Seu plano que tudo neste mundo seja utilizado pelo Espírito Santo para ajudar a realizar esse plano. Até um terapeuta avançado tem certas necessidades terrenas, enquanto permanece aqui. Se precisa de dinheiro, ele ser-lhe-á dado, não como pagamento, mas para o ajudar a servir melhor os propósitos do plano. O dinheiro não é um mal; não é nada. Mas ninguém pode viver sem ilusões, uma vez que ainda temos que pugnar para que todos, em todo o lado, aceitem a última ilusão. Isto tem um peso enorme no que se refere a este propósito, para o qual cada um veio aqui. Permanece nesta terra apenas para isto. E, enquanto aqui estiver, tudo aquilo de que necessite durante a sua estadia ser-lhe-á proporcionado.

Só um curador não curado procura curar por dinheiro. E não terá êxito na mesma medida em que valorize esse dinheiro. Sequer encontrará a sua cura neste processo. Alguns haverá a quem o Espírito Santo pedirá um pagamento pelo Seu Propósito. Haverá outros a quem Ele não pedirá nada. Mas nunca será o terapeuta a decidir sobre estas assuntos. Há uma diferença entre pagamento e preço. Dar dinheiro onde o plano de Deus impera, não tem qualquer preço. Retê-lo ou impedir que chegue onde pertence por direito, tem um preço enorme. Terapeuta que faça isto perde o direito a esta designação, porque não compreende o que é a cura. Se não pode dar dinheiro também não pode recebê-lo..."

"...Foi dito claramente que, àquele que necessite, lhe será dado. É porque tem, que pode dar. E porque dá, receberá. Esta é a lei de Deus e não a do mundo. Portanto, é a lei dos curadores de Deus. Dão porque ouviram o Seu Mundo e compreenderam-no. Assim, tudo aquilo de que necessitam lhes será dado. No entanto, perderão totalmente esta compreensão se, por um momento, se esquecerem de que tudo o que têm provêm de Deus. Se acreditam que precisam de alguma coisa de algum irmão, deixarão de poder reconhecê-lo como tal. E se tal fazem, até no Céu se apaga uma luz. Onde o Filho de Deus se volta contra si mesmo, somente existe escuridão. Terá negado a luz a si mesmo, e não pode ver.

Uma regra deve ser sempre observada: ninguém deve ser recusado por não poder pagar. Ninguém é enviado a alguém por acidente. Todas as relações têm sempre um propósito. Independentemente do que possam ter sido antes da chegada do Espírito Santo, continuam a ser o Seu templo potencial; o lugar de descanso de Cristo, o espaço do próprio Deus. Quem quer que tenha chegado, foi enviado. Talvez tenha sido enviado para proporcionar ao seu irmão o dinheiro de que ele precisava. Nisso, ambos serão abençoados. Ou, então, foi enviado para ensinar ao terapeuta o quanto ele estava precisado de perdão, e, comparando, quão pouco valioso é o dinheiro. De novo, ambos serão abençoados. Somente em termos de preço, um poderia ter mais do que o outro. Ao compartilharem, todos ganham uma bênção que não tem preço..."

"...Quem quer que seja que Ele te envie encontrar-te-á e oferecerá a sua própria mão ao seu Amigo. Permite que o Cristo em ti o convide a entrar porque, esse mesmo Cristo que está nele, é igual ao que está em ti. Recusa-lhe a entrada e terás negado o Cristo em ti. Recorda a triste história do mundo e as alegres notícias da salvação. Recorda o plano de Deus para a restauração da alegria e da paz. E jamais te esqueças de quão simples são os caminhos de Deus:

Estavas perdido na escuridão do mundo até que pediste luz. E, então, Deus enviou o Seu Filho para ta dar."

in PSICOTERAPIA: PROPÓSITO, PROCESSO E PRÁTICA - Uma ampliação de Um Curso em Milagres (tradução de Vitorino de Sousa da versão em castelhano)

Este texto, ao vibrar com ele, clarificou para mim a importância do dinheiro enquanto energia de troca e nada mais.

Para todos os trabalhadores da LUZ, sendo-o, que nunca o façam pelo dinheiro em si, mas ao doar-se enquanto curadores, ao servir o outro, que o dinheiro que recebem seja apenas mais uma forma de partilha de: AMOR, Auto-Conhecimento e Compaixão. Nada mais...

Fiquem bem.

(A Mónada)

Mesmo que não lhe apeteça comentar então dê-me a sua opinião:

Como avalia este post que acabou de ler?

Excelente
Muito Bom
Bom
Razoavel
Sofrivel

1 comentário:

A Mónada disse...

É curioso ninguém ter comentado este texto. Porque será?

Fica a pergunta... se houver alguém que saiba responder por favor nem hesite em comentar aqui. FORÇA...

Fiquem bem.