segunda-feira, 26 de março de 2007

EU SOU...


Quando as horas de desalento te invadem a alma e as lágrimas afloram nos teus olhos, busca-me: EU SOU AQUELE que sabe consolar-te e rapidamente detêm as tuas lágrimas.

Quando desapareça o teu ânimo para lutar nas dificuldades da vida, ou sintas que estás pronto a desfalecer, chama-me: EU SOU A FORÇA capaz de remover as pedras do teu caminho e sobrepor-te às adversidades do mundo.

Quando te encontres sem clemência e sem lugar para reclinar a cabeça, corre para junto de mim: EU SOU O REFÚGIO em cujo seio encontrarás guarida para o teu corpo e tranquilidade para o teu espírito.

Quando te falte a calma, nos momentos de grande aflição, e te consideras incapaz de conservar a serenidade de espírito, invoca-me: EU SOU A PACIÊNCIA que te ajudará a vencer as dificuldades mais dolorosas e triunfar nas situações mais difíceis.

Quando te debatas nos mistérios da vida e tenha a alma ferida pelos obstáculos do caminho, grita por mim: EU SOU O BÁLSAMO que cicatrizará as tuas feridas e aliviará os teus padecimentos.

Quando o mundo só te faça falsas promessas e creias que já ninguém te pode inspirar confiança, vem a mim: EU SOU A SINCERIDADE, que sabe corresponder à franqueza das tuas atitudes e à nobreza das tuas ideias.

Quando a tristeza ou a melancolia tentem albergar-se no teu coração, clama por mim: EU SOU A ALEGRIA que te infunde um alento novo e te fará conhecer os encantos do teu mundo interior.

Quando, um a um, se destruam os teus ideais mais belos e te sintas desesperado, apela a mim: EU SOU A ESPERANÇA que te robustece a Fé.

Quando a impiedade te revele as faltas e a dureza do coração humano, aclama-me: EU SOU O PERDÃO, que te levanta o ânimo e promove a reabilitação da tua alma.

Quando duvides de tudo, até das tuas próprias convicções, e o cepticismo de assalte a alma, recorre a mim: EU SOU A FÉ que te inunda de luz e de entendimento para que alcances a FELICIDADE.

Quando já ninguém te estenda uma mão terna e sincera e te desiludas com os sentimentos dos teus semelhantes, aproxima-te a mim: EU SOU A RENUNCIA que te ensinará a compreender a ingratidão dos homens e a incompreensão do mundo.

E quando por fim queiras saber quem eu sou, pergunta-o ao rio que murmura, ao pássaro que canta, às estrelas que cintilam.

EU SOU A DINÂMICA DA VIDA E A HARMONIA DA NATUREZA. CHAMO-ME AMOR. SOU O REMÉDIO PARA TODOS OS MALES QUE ATORMENTAM O TEU ESPIRITO.

Vem a mim... que eu te levarei às serenas mansões do infinito... sob as luzes brilhantes da eternidade...

Texto de autor desconhecido


Sintam este texto e fiquem bem...

(A Mónada)



Mesmo que não lhe apeteça comentar então dê-me a sua opinião:


Como avalia este post que acabou de ler?
Excelente
Muito Bom
Bom
Razoavel
Sofrivel

6 comentários:

o alquimista disse...

Explêndido...Fantástico, tu realmenre não és deste mundo...!

Beijo

Claudia Perotti disse...

simplesmente lindo o texto!
Deixo um beijinho de boa semana para ti!

Luzidium disse...

Inspirador sem dúvida.

Abraços intemporais...

Chama Violeta disse...

Obrigada por esta partilha que toca fundo a alma e o coração.
Não tenho certeza,mas o texto não é de Pablo Neruda?
Logo,logo estarei de volta ao meu blog com mais calma!
Fica bem e beijinhos de luz!!!

A Mónada disse...

Obrigado a todos pelos vossos comentário...

Fiquem bem

A Mónada disse...

Chama: Andei a investigar e nada encontrei na obra de Pablo Neruda.

De qualquer forma obg. É sempre bom referenciar o autor dos textos publicados.

Fica bem...